Artigos

A vacina e a retomada do turismo

Artigo escrito por Rafael Almeida, CEO da Natos Multi

Com o avanço da imunização contra Covid-19 no Brasil, empresários e turistas começam a se mostrar mais esperançosos para a retomada das viagens. Em fevereiro deste ano, um estudo realizado pelo InterContinental Hotels Group (IHG) apontou que uma em cada cinco pessoas planeja compensar ainda neste ano a redução da atividade em 2020.

Reforçando a tendência, pesquisa do Observatório Febraban revelou que 20% dos brasileiros pretendem viajar após serem imunizados, buscando destinos nacionais, ainda este ano. Já um estudo da Kantar mostrou que 65% das pessoas já planejaram fazer pelos menos uma viagem em 2022, quando estima-se que o turismo terá sua recuperação completa.

A busca por destinos nacionais se tornou quase uma regra durante a pandemia de Covid-19, já que as restrições acabam dificultando o turismo internacional. Com isso, em 2020, 96% dos brasileiros que decidiram viajar buscaram um destino dentro do próprio país, de acordo com a Associação Brasileira de Operadoras de Turismo (Braztoa).

Com essa inclinação ao turismo nacional, cada vez mais cidades turísticas vêm se adaptando e montando cenários de maior segurança, criando as melhores condições para que os visitantes consigam conciliar cuidados - que ainda serão muito necessários - com entretenimento.

Este é o caso de Olímpia, segunda maior cidade paulista em número de leitos (26.599), com mais de 600 meios de hospedagem.

O município é conhecido por seus parques de águas quentes, e novas atrações “secas” não param de chegar, como o Vale dos Dinossauros e o Museu de Cera.

O turismo representa 55% da atividade econômica de Olímpia e movimenta por ano cerca de R$ 1,5 bilhão, segundo a Prefeitura. Cerca de 7 mil pessoas trabalham formalmente no setor, algo equivalente a 12% da população de 55 mil habitantes (se considerarmos só a população economicamente ativa, essa representatividade do turismo sobe ainda mais).

Além dos parques, sem dúvida os maiores impulsionadores do turismo, Olímpia também se destaca por ter os maiores resorts do Brasil.

Os resorts se diferenciam dos hotéis e pousadas pela ampla estrutura gastronômica e de lazer que oferecem aos hóspedes. Hoje, eles respondem por mais de 40% da ocupação, de acordo Relatório de Perfil de Demanda elaborado pela Secretaria Municipal de Turismo.

Apesar de ter sido bastante afetada, assim como todas as principais cidades turísticas do Brasil e do mundo, toda essa estrutura se manteve, e mais, os investimentos para sua ampliação não pararam, mesmo em um cenário desafiador.

Neste segundo semestre, por exemplo, será inaugurado o Solar das Águas Park Resort, que terá mil apartamentos e será o maior resort do País. O empreendimento recebeu mais de R$ 400 milhões em investimentos.

Sabemos que ainda é preciso avançar no calendário nacional de imunização, mas é notório que, com cada vez mais brasileiros vacinados, somado a outros movimentos importantes - como a criação do passaporte sanitário da Covid-19, projeto de lei de autoria do deputado federal Geninho Zuliani, em tramitação na Câmara, o momento é de esperança e otimismo.

Proporcionar às famílias viajar novamente sem receios, tendo de se preocupar apenas com lazer, descanso e diversão, seja para Olímpia ou qualquer outro dos outros grandes destinos turísticos do Brasil, é o que esperamos. E essa realidade não está mais tão distante.

Rafael Almeida é empresário e CEO da Natos Multi. 

Por Da Redação em 17/07/2021 15:00