Artigos

Ser MEI é o primeiro passo para liberdade

Artigo escrito por Caio Katayama, sócio fundador da Ótris Soluções Financeiras

Ainda hoje a busca pela carteira assinada é dominante no mercado de trabalho, porém, a lenda de que só a “carteira azul” é o futuro, vem sendo cada vez mais desmistificada. Seja por necessidade ou pela vontade de trabalhar de forma autônoma, a procura pelo registro MEI vem subindo nos últimos anos.

De acordo com o Mapa da Empresa, divulgado em fevereiro pelo Ministério da Economia, o Brasil teve um aumento de 8,4% na abertura de MEIs em relação a 2019, e viu em 2020 o número de microempreendedores individuais crescer em 2,6 milhões.

E ao que se deve esse constante crescimento em ser autônomo? Em grande parte, se deve aos diversos benefícios que o microempreendedor pode ter, vez que com o frequente aumento de empregos informais, quem se torna pessoa jurídica dá um passo em direção à garantias e profissionalismo.

Trabalhando de casa, ou em um pequeno escritório, com ferramentas como a internet, e sob sua própria chefia, surge o MEI. Empreendendo em espaços que muitos não veem oportunidade, o MEI tem em suas mãos a possibilidade de desfrutar de vantagens como home office, fazer seus próprios horários, não ter gastos para comer fora, não se sujeitar aos perigos ao sair para as ruas e desfrutar da flexibilidade que ele mesmo pode oferecer a si, coisas que um funcionário CLT não tem.

Ao ser dono do seu próprio negócio, quem colhe os frutos do seu trabalho é o próprio empresário que dedicou seu suor em cada parte da criação e execução da linha de trabalho. Ao contrário do funcionário de carteira assinada, que trabalha para alguém e nem sempre está interessado no resultado daquele produto, o MEI está ali dedicando e colhendo diretamente os frutos que ele mesmo plantou.

E além das vantagens cotidianas, o microempresário tem vantagens que nem sempre são conhecidas por todos. Ao contrário do que se diz, que apenas a carteira assinada garante aposentadoria, e todo esse discurso engessado e propagado por aí, o MEI também conta com direitos aos benefícios do INSS, declaração do imposto simplificada e menos tributos que uma empresa convencional, tendo assim um valor fixo mensal de taxas governamentais.

E não podemos esquecer que o MEI se cadastra como CNPJ, possibilitando assim a emissão de notas fiscais, podendo atender demandas, vendendo ou prestando serviços para empresas ou até mesmo para o governo. Entre tantas vantagens, porque não dar uma chance de profissionalizar seu trabalho e crescer no mercado? Aumentar sua autonomia e ser seu próprio chefe é fazer com que você avance para a liberdade. Com muita disciplina, seu negócio pode crescer e te levar ao seu sonho. Pensar fora da caixa, sair do óbvio, romper com o padrão aumenta o leque de sonhos a serem realizados.

Caio Katayama, sócio fundador da Ótris Soluções Financeiras.

Por Da Redação em 27/08/2021 00:00