Redes Sociais

Cidades

Policiais de Rio Preto fazem parto de menina em garagem de casa

Ação rápida dos policiais e transporte adequado até o hospital foram fatores essenciais para saúde da mãe e da recém-nascida

Publicado há

em

O cabo João Henrique Gonçalves Batista e o soldado Saulo Henrique Xavier, ambos da 4ª Companhia da Polícia Militar, fizeram o parto da pequena Beatriz, na garagem da casa da família, na noite de terça-feira (dia 12), em Rio Preto. Após o procedimento, mãe e filha foram encaminhadas ao Hospital da Criança e Maternidade, onde permanecem internadas e passam bem. 

De acordo com informações da PM, por volta das 20h, os policiais seguiam para atender uma briga entre um casal no bairro João Paulo 2°, quando, ao passarem próximo à casa onde a grávida estava, no bairro Anchieta, foram chamados pelos vizinhos para ajudá-la. “As pessoas acenavam para a viatura e então paramos. Quando nos aproximamos da casa, encontramos a mulher com bastante dor e acompanhada de uma senhora, que tentava levá-la até o carro para seguirem para o hospital”, afirma o cabo Henrique. 

Imediatamente os policiais chamaram uma unidade do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e achavam que só iriam prestar um apoio. “Enquanto aguardávamos a equipe, a bolsa estourou. Não pensamos duas vezes. Não havia mais tempo. Forramos um chão com edredom e nos preparamos para realizar o parto” diz o cabo. 
Quando os paramédicos chegaram, Beatriz estava nos braços da mãe, com o cordão umbilical já cortado. O soldado Xavier, que nunca havia atendido uma ocorrência deste tipo, relata a emoção e a preocupação nos primeiros segundos de vida da recém-nascida. “Quando ela nasceu não chorou, isso nos preocupou. Mas logo em seguida, o cabo virou o rostinho dela e o líquido que havia em sua boca escorreu e então respirou profundamente e chorou. Foi um momento bastante emocionante” afirma. 

“Quando atuava em São Paulo, estive envolvido em outras ocorrências envolvendo partos. Mas nunca tinha realizado todo procedimento sozinho, sem apoio médico. Somos preparados em nossos treinamentos para este tipo de ação” diz o cabo Henrique. Mãe e filha foram encaminhadas até o Hospital da Criança e Maternidade, onde receberam todo atendimento necessário.

Segundo a ginecologista e a obstetra, Olivia Saes Cretelli, a ação rápida dos policiais e o transporte adequado até o hospital foram fatores importantes para saúde de mãe e filha. “Com base nos relatos dos policiais, as ações tomadas por eles foram corretas. Houve o corte do cordão umbilical, o que poderia causar uma hemorragia na mãe, mas isto não aconteceu porque ambas chegaram até o hospital rapidamente e não teve complicações. Tanto que a criança está no quarto junto à mãe”. 

A pequena Beatriz nasceu pesando quase três quilos e mede 47 centímetros. “Esta ocorrência foi diferente e gratificante. Estamos acostumados a proteger vidas, mas neste caso ajudamos no nascimento de uma”, disse o cabo Henrique. 

AS 10 MAIS LIDAS