Redes Sociais

Cidades

Ministério da Saúde visita HB para validação de transplantes de Pulmão

Visita de representantes do ministério ao Hospital de Base de Rio Preto está agendada para a manhã desta sexta-feira (dia 18)

Publicado há

em

O Ministério da Saúde visita nesta sexta-feira (dia 18) o Hospital de Base de Rio Preto para validar as cirurgias de transplantes de pulmão, ou seja, o Serviço de Transplante de Pulmão do hospital está a um passo de ser tornar o oitavo do Brasil a entrar em atividade. A visita do ministério é a última parte do estágio burocrático para a validação do serviço. “Temos tudo pronto. Uma equipe completa e infraestrutura ideal para realizarmos os transplantes”, diz o coordenador do programa, o cirurgião torácico Henrique Nietmann.

No Estado de São Paulo, 11O pessoas estão na fila de espera para um transplante de pulmão. O HB dispõe de todos setores e especialidades necessárias para o serviço, que reúne um numeroso time multidisciplinar, formado por médicos infectologistas e intensivistas, fisioterapeutas, equipe de enfermagem, nutricionistas e assistentes sociais. Henrique Nietmann
iniciou o projeto de implantação do Serviço, em 2012,amparado em conhecimento e experiência adquiridos no Hospital da Universidade de Toronto, no Canadá, onde foi realizado o primeiro transplante de pulmão no mundo, em 1986.

TRANSPLANTE DE CORAÇÃO
Outra boa notícia para Rio Preto foi que o Hospital da Criança e Maternidade realizou pela primeira vez, na noite de quarta-feira (dia 18), um transplante de coração. É o 89º transplante de coração e o terceiro em criança que o complexo Funfarme, integrado pelo Hospital da Criança e Hospital de Base de Rio Preto, realiza desde 2000, quando o primeiro transplante foi
feito. Rio Preto é a única cidade a realizar transplantes de coração de crianças do interior do Brasil.

A receptora do coração, a menina Dorys Lucy Vidal,de 12 anos, moradora de Jaú, está internada na UTI do hospital e, até as 16h40 de quinta-feira (dia 17), segundo a assessoria do hospital, estava o coração funcionava satisfatoriamente. De acordo com o cirurgião cardíaco Ulisses Croti, sofria de uma miocardiopatia dilatada, que é o aumento do coração, comprometendo o seu funcionamento e a capacidade de bombeamento do sangue para todo o organismo. “O coração de Dorys tinha uma capacidade de bombeamento de
apenas 10%, quando o normal é entre 65% e 75%”. Ela recebeu o coração de uma menina de 15 anos, moradora de São Paulo, que morreu por causa de acidente vascular encefálico hemorrágico, no dia 14 de setembro.

Um helicóptero da Polícia Civil de São Paulo transportou os médicos do Hospital da Criança com o coração do Hospital de Campo Limpo nos 18 quilômetros até o Aeroporto de Congonhas, onde eles pegaram um avião fretado pelo governo do Estado rumo a Rio Preto. A operação não durou mais do que três horas até a equipe do Hospital da Criança iniciar a cirurgia, às 19h30, que foi concluída na madrugada de quinta–feira. A Funfarme e seus hospitais realizaram mais de 4 mil transplantes. De janeiro até julho, foram 163. Desse total, 43 são de córneas, 32 de fígados, dois de pâncreas, 21 de medulas e 65 rins.
(Colaborou Alex Pelicer)

AS 10 MAIS LIDAS