Redes Sociais

Cidades

Julgamento de médico que matou mulher será na quinta-feira (dia 8)

Luiz Henrique Semeghini confessou que matou a própria mulher há 15 anos. Julgamento em agosto precisou ser adiado porque advogado não compareceu no Tribunal de Justiça

Publicado há

em

O julgamento do médico Luiz Henrique Semeghini, assassino confesso da própria mulher, Simone Maldonado, há 15 anos, está marcado para a próxima quinta-feira (dia 8), no Tribunal do Júri de Fernandópolis. O advogado do médico, Alberto Zacharias Toron, não compareceu no dia 28 de agosto, ao julgamento, o que forçou o juiz Vinicius Castrequini Bufulin a adiar o júri. Bufulin disse na época que iria nomear um advogado dativo para Semeghini, caso Toron não compareça ao julgamento, o que impediria um novo adiamento.

O caso ganhou repercussão nacional. O médico chegou a ser condenado em 2008 a 16 anos de prisão, mas o julgamento foi anulado pelo Tribunal de Justiça (TJ) por causa de uma falha técnica da ata de julgamento, que contabilizou erroneamente os votos dos jurados.

De acordo com o processo, Semeghini matou a mulher às 6h do dia 15 de outubro de 2000 em Fernandópolis. O casal chegava de um baile e teve uma discussão no quarto. A mulher já estava deitada na cama quando o médico se aproximou, colocou um travesseiro sobre seu corpo e fez sete disparos com um revólver calibre 32 – três atingiram o queixo e quatro o estômago da vítima. Simone teve morte instantânea.

Recentemente, familiares de Simone criaram uma página no Facebook para defender a condenação de Semeghini. Chamada “Justiça para Simone”, a página tem quase cinco mil seguidores.

Na página, o último post, datado de terça-feira (dia 29), consta que a família e amigos fizeram uma petição online ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. “Queremos 6.000 assinaturas. Estamos com 1.218, vamos nos ajudar?”, consta no post.

Continue lendo

AS 10 MAIS LIDAS