Redes Sociais

Cidades

‘Tropa de elite’ do resgate médico inicia atendimentos em Rio Preto

Base do Grupo de Atendimento e Resgate às Urgências (Grau) está em pleno funcionamento no Distrito Industrial. Equipe é formada inicialmente por oito médicos e 11 enfermeiros

Publicado há

em

O Grupo de Resgate e Apoio às Urgências e Emergências(Grau), conhecido como “tropa de elite” do resgate médico, iniciou nesta semana as atividades em Rio Preto. A equipe é formada, inicialmente, por oito médicos e 11 enfermeiros e tem como foco atendimentos às vítimas de graves acidentes e violência. Conforme revelou com exclusividade reportagem da Gazeta de Rio Preto, em agosto, a equipe local do Grau, a princípio, não vai voar como tripulação do Águia, helicóptero da Polícia Militar.

Rio Preto é a terceira cidade do interior a ter uma base do Grau, junto com Campinas e São José dos Campos. Ainda neste mês, entram em operação outras duas bases em Ribeirão Preto e em Presidente Prudente.

Segundo Cecília Damasceno, assessora do Gabinete da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, a equipe rio-pretense passou por treinamento de três meses na escola de Bombeiros, em São Paulo, para aperfeiçoar atendimentos às pessoas em estado grave, como vítimas de atropelamento, quedas e até de catástrofes, visando à estabilização do estado clínico até a chegada de uma ambulância ou até mesmo a um hospital.

“Nesta primeira etapa vamos atuar somente no atendimento terrestre, depois faremos também o socorro aéreo com o apoio do Águia. Para essa segunda etapa, será necessário um outro tipo de treinamento específico, no caso operacional da aeronave”, afirma ela. Os médicos e enfermeiros fizeram na Capital várias capacitações focadas em negociações durante sequestros e até em balística, ciência que estuda o movimento dos projéteis.

Além da equipe especializada, a base do Grau, que fica no Distrito Industrial – ao lado do aeroporto de Rio Preto – conta com uma viatura, que apesar de não ser uma ambulância, dispõe de modernos equipamentos necessários para o primeiro atendimento, ou seja, socorro fundamental antes mesmo da chegada de uma ambulância no local do acidente.

 

Como o Grau é acionado?

O acionamento do Grupo de Atendimento e Resgate às Urgências (Grau) é feito pelo telefone 193, por meio de um sistema interligado entre a Central de Operações do Corpo de Bombeiros (Cobom), equipe do Grau e Grupamento de Rádio e Patrulha Aérea da Polícia Militar, cabendo ao médico regulador do Grau, por meio das informações recebidas e após o despacho da viatura adequada, monitorar e orientar os profissionais no local, além de indicar o melhor recurso hospitalar para cada tipo de atendimento, de acordo com a regionalização e hierarquização dos hospitais previamente normatizados e por uma grade já estabelecida.

O Grau é referência nacional e até mesmo internacional em resgate médico e atendimento a desastres históricos, como a explosão do Osasco Plaza Shopping (1996), as quedas das aeronaves da TAM (1996), Gol (2006) e o avião da banda Mamonas Assassinas (1996), além das enchentes que atingiram Santa Catarina (2008).

Rio Preto, Presidente Prudente e Ribeirão Preto foram contempladas com uma base da tropa de elite do resgate médico por causa da densidade demográfica e do número de moradores, além de oferecem estruturas hospitalares aptas ao atendimento de pacientes em diferentes graus de complexidade. “São cidades que têm muitas ocorrências. Afinal, tem muitos moradores e, consequentemente, acidentes causando vítimas com traumas. E, claro, Rio Preto por ter também uma base do agrupamento do Águia”, disse. (Colaborou Alex Pelicer)

AS 10 MAIS LIDAS