Redes Sociais

Cidades

Chuva alaga avenidas e causa transtornos aos rio-pretenses

Projeto de obras antienchentes elaborado durante governo Valdomiro Lopes e executado pela Constroeste não são suficientes para conter volume de água

Publicado há

em

Mais uma vez as principais avenidas de Rio Preto se transformaram em rios após a forte chuva que caiu no final da tarde desta quinta-feira, dia 30. As obrasantienchentes, que seria ‘A Menina dos Olhos’ da gestão anterior, se mostrou ineficiente. Além dos pontos de alagamento, faltou energia em bairros da cidade. A área central foi a mais afetada, o trânsito foi interrompido devido o alto nível das águas nas avenidas Murchid Homsi e Alberto Andaló e rio-pretenses se viram ilhados.

Já na avenida Bady Bassitt, que teve as obras antienchentes concluídas em abril após quase dois anos de interdições que prejudicaram o comércio por lá e consumiu dos cofres públicos aproximadamente R$164 milhões, também ficou alagada. O miniterminal e o terminal rodoviário também foram atingidos pelas águas.

Viaturas do Corpo de Bombeiros se posicionaram em pontos considerados críticos. Nenhuma ocorrência de gravidade foi registrada durante a pancada de chuva. Segundo dados das estações de medição pluviométrica da Cetesb em Rio Preto choveu cerca de 40 milímetros em menos de uma hora. É o maior volume registrado nos últimos 12 meses. O volume foi tão grande que fez transbordar o vertedouro do Lago 1 da Represa Municipal. Dez árvores caíram, segundo a Defesa Civil. Em alguns casos, galhos romperam a fiação elétrica deixando bairros sem energia.

Trânsito caótico

Motoristas tiveram que ter paciência ao retornarem para casa após a forte pancada de chuva. O trânsito nas principais vias ficou sobrecarregado, formando longas filas. Motociclistas tiveram uma preocupação a mais, além do fluxo de veículos, entulhos arrastados pelas enxurradas ficaram sobre as vias.

AS MAIS LIDAS