Redes Sociais

Cidades

Prefeitura autoriza início das obras de captação de água do rio Grande

Prefeito Edinho Araújo assina ordem de serviço e empresa Estática Engenharia está liberada para começar os trabalhos, que devem ser concluídos em dois anos

Publicado há

em

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), o superintendente do Semae (Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto), Nicanor Batista e o secretário Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, Henrique Pires, que representou o ministro Alexandre Baldy, assinaram, nesta quinta-feira, dia 22, a ordem de serviço do projeto para captação de água do rio Grande, que tem como finalidade ampliar o abastecimento de água em Rio Preto.

O evento também contou a presença do superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Fernando Tadeu da Costa Passos. O projeto vai custar R$ 14,3 milhões, verba que foi liberada no dia 17 de janeiro deste ano pelo presidente da República, Michel Temer (MDB), durante visita do prefeito Edinho ao Palácio do Planalto. As obras serão executadas pela empresa Estática Engenharia Ltda., que venceu a licitação para a elaboração de estudos ambientais e os projetos executivos do novo sistema de captação, tratamento e adução de água para Rio Preto, “batizado” como Sistema Produtor Rio Grande, que poderá disponibilizar 3m3 de água por segundo para Rio Preto, volume suficiente para abastecer uma cidade com mais de 1 milhão de habitantes.

A captação da água será feita a 60 quilômetros de Rio Preto e chegará à cidade por meio de dutos que serão construídos de forma paralela à rodovia BR-153. “O novo sistema tem como objetivo preparar a cidade para o crescimento. As estimativas mostram que nos próximos anos o número de habitantes vai ser bem maior e temos a necessidade de fazer a estruturação para ficarmos à espera do aumento populacional”, disse o prefeito.

A produção atual do Semae é 3.900.000m3 por mês de água tratada. Do volume, 25% vem da ETA (Estação de Tratamento de Água), 50%, dos 311 poços do Aquífero Bauru e os outros 25%, dos oito poços profundos do Aquífero Guarani. A quantidade produzida é suficiente para abastecer os 450 mil habitantes de Rio Preto, mais a população flutuante da cidade, que, somados, se aproximam de 500 mil pessoas.

Segundo projeções da Fundação Seade, Rio Preto deve chegar a 466 mil moradores em 2030. Com a população flutuante, o total será 550 mil pessoas. Está prevista no Plano Diretor de Água e Esgoto do Semae a perfuração de mais três poços, no Aquífero Guarani, com capacidade média de produção de 250m3 por hora. Um deles será na Zona Norte da cidade, próximo ao Palestra Esporte Clube; outro deve ser na Zona Leste, entre os condomínios Damha e Guapiaçu e o último na Zona Sul.

AS MAIS LIDAS