Redes Sociais

Cidades

DIG identifica segundo suspeito envolvido na morte de mototaxista

A Polícia Civil identificou e pediu a prisão temporária de um rapaz de 25 anos que pode estar envolvido na morte do mototaxista Sidnei Aparecido de Oliveira, de 60 anos

Publicado há

em

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) identificou um jovem de 25 que pode estar envolvido na morte do mototaxista Sidnei Aparecido de Oliveira, de 60 anos. O pedido de prisão temporária já foi expedido e agora os investigadores tentam localizar o suspeito que está foragido e seria morador do bairro Vila Toninho.

Segundo o delegado André Balura, após a prisão do primeiro suspeito detido com a motocicleta da vítima no dia do crime, teve início os trabalhos de investigações. Ao interrogar o rapaz de 27 anos detido, ele afirmou não ter envolvimento direto na morte de Sidnei e apontou outro envolvido.

“Ele ainda mantem a versão que fez sim uma corrida com a vítima do terminal rodoviário até a Vila Toninho e parou em uma biqueira para usar droga. E por lá ficou. Ainda segundo o primeiro suspeito detido, o traficante daquele local estava com poucas drogas e este mesmo traficante teria saído do local, junto com o Sidnei para outra localidade” disse o delegado.

O jovem detido relatou que voltou da Vila Toninho até sua casa, no bairro Vila Ercília a pé e tomou banho. Em seguida, teria voltado a pé novamente para a biqueira, na Vila Toninho.

“Após alegar que fez estes dois trajetos de grande distância a pé, ele afirma que ao entrar na biqueira e viu a motocicleta do mototaxista. Neste momento, o traficante ofereceu a moto e o jovem detido aceito, alegando que não tinha conhecimento da morte do mototaxista. Para fazer dinheiro, ele então segue até o bairro João Paulo II para tentar vender a moto. Onde foi localizado e preso” diz Balura.

As investigações ainda tentam esclarecer se estas informações são verídicas. Mas, dois detalhes chamaram a atenção dos investigadores e também reforça que o suspeito detido teve envolvimento na morte do mototaxista.

“Levamos a faca abandonada até a casa deste jovem preso, e a mãe dele a reconheceu. Ela disse que aquela faca era semelhante as demais que eles tinham em sua casa. Outro detalhe é a camisa com vestígios de sangue, investigadores encontram uma camiseta polo preta, com uma listra branca, que o suspeito usava no dia do crime. Esta camisa foi apreendida e encaminhada para perícia ” conta o delegado.

Identificação do segundo suspeito

Logo que foi preso,  o suspeito de 27 anos, mantém a informação que não participou do crime. “Como ele mantém a versão de só tentar vender a moto e acusa este traficante de 25 da Vila Toninho como autor. Identificamos este segundo suspeito e pedimos a prisão temporária. Nossa equipe está tentando localizá-lo, mas ele ainda está foragido”.

Um dos fatores que chamam a atenção da Polícia Civil é as armas usadas no dia do crime. “Apreendemos a faca e pedras próximas ao corpo com resquícios de sangue. Um criminoso normalmente quando vai assaltar, ele utiliza apenas uma arma para render a vítima. Se de repente à vítima reage, o assaltante acaba desferindo dois ou três golpes e foge. Neste caso chama a atenção a brutalidade. E é neste ponto que as investigações ainda está obscura, por isso a necessidade de ouvir este segundo suspeito” afirma Balura.

O crime

No último dia 22, o mototaxista Sidinei Aparecido de Oliveira, de 60 anos, foi morto durante uma corrida no bairro Vila Toninho. Por volta das 5h da manhã foi feita uma ligação ao 190 informando sobre um homem caído próximo a guia da avenida Nelson Vitalino. Além da PM, uma viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foi acionada.

Socorristas confirmaram que a vítima já estava sem vida. O homem tinha afundamento de crânio e um corte no pescoço. O local foi preservado para o trabalho de perícia. Policiais também encontraram pedras espalhados pela rua com marcas de sangue e também uma faca.

Horas depois, um suspeito foi preso pela Polícia Militar enquanto tentava vender a motocicleta da vítima no bairro João Paulo II.

AS MAIS LIDAS