GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Cidades

Prefeitura apela para drones na fiscalização de descarte irregular

Edinho anuncia utilização de aparelhos que irão flagrar sujões em Rio Preto; só no ano passado foram investidos R$ 10 milhões para a limpeza de áreas públicas

A Prefeitura de Rio Preto vai contar com ajuda dos céus para coibir a ação de infratores do meio ambiente. Trata-se da utilização de drones que sobrevoarão áreas públicas em busca de pessoas que descartam irregularmente entulhos, lixo e materiais inservíveis em pontos da cidade.

O anúncio foi feito na terça-feira, dia 23, pelo prefeito Edinho Araújo (MDB) e o secretário de Serviços Gerais, Ulisses Ramalho, pasta que ficará responsável pela utilização dos aparelhos.

A apresentação da nova ferramenta no combate aos sujões aconteceu na Mata da Macumba, localizada no residencial Nova Esperança. Foi feita uma demonstração da capacidade de autonomia dos drones. Eles deverão atuar em 15 locais específicos, onde o governo acredita serem as principais áreas de descarte irregular de lixo e entulho. Os aparelhos possuem alcance de até 80 metros de altura. Os drones fazem as imagens em alta resolução, identificando o rosto e também as placas dos veículos. Com isso os fiscais da Secretaria identificam as pessoas que estão descartando o lixo e aplicam a notificação. Após a notificação as pessoas têm 15 dias para se defender ou regularizar a situação, caso contrário a multa é aplicada.

A punição varia de acordo com a quantidade de entulho e com o tipo de material descartado. Começa em 10 Ufms (R$ 577,50) e pode chegar a 100 Ufms (R$ 5.775,00); os valores dobram em caso de reincidência.

“Tínhamos uma dificuldade muito grande em fazer o flagrante de descarte e aplicar as notificações e multas, o que faz com que as pessoas continuem com a prática irregular”, afirma o secretário de Serviços Gerais, Ulisses Ramalho.

Ramalho diz ainda que a medida vai trazer muita economia para a cidade. “Só no ano passado foram investidos R$ 10 milhões para limpar essas áreas, foram mais de três mil toneladas retiradas de locais irregulares. O drone tem um custo muito baixo se compararmos com o valor gasto para a limpeza, menos de R$ 9 mil por 15 horas de voo”, explicou.

Além da economia a intenção também é diminuir a incidência de insetos e animais que transmitem doenças, como escorpiões, ratos, baratas e até do mosquito da dengue. De acordo com dados do setor de fiscalização da secretaria, em 2017 foram emitidas 14 notificações, gerando uma multa. Em 2018 foram emitidas 24 notificações, que geraram nove multas.

“Para ocorrer a autuação é necessário flagrar o descarte e identificar o infrator. Muitas vezes o morador do bairro que vê a infração não faz a denúncia e não fotografa, por medo. Dessa maneira, a fiscalização será mais intensiva, buscando sempre inibir tais condutas irregulares”, diz o prefeito de Rio Preto.

De acordo com dados da Secretaria de Serviços Gerais, os principais focos de descarte irregular de resíduos em áreas públicas foram nos bairros Parque Residencial Nova Esperança, Parque da Cidadania, Jardim Nunes, Santo Antônio, Distrito Industrial Adail Vetorazzo, Jardim das Oliveiras; Distrito Industrial Pascuti, Vila Toninho, Lealdade e Amizade, Vila Nobre e Cidade Jardim.

Por Raphael Ferrari em 25/04/2019 às 23:59
TerrasAlphaville