GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Cidades

Anel viário de Rio Preto avança na região sul

Prefeitura finaliza licitação do segundo lote para dar início a novas obras; custo total é de R$ 70 milhões

As obras da primeira fase do anel viário de Rio Preto avançam nos bairros Jardim Tarraf 1 e 2, região sul da cidade. Outros trechos receberão intervenções como na avenida Belvedere, desde o residencial Village Damha 2 até o dispositivo da BR-153 e posteriormente até a avenida Danilo Galeazzi, e na região Sul (bairros São Francisco e Vivendas).

Os investimentos desta fase são de R$ 10,1 milhões e são executados pela empresa Constroeste, vencedora da licitação. Segundo nota encaminhada pela Secretaria de Obras da Prefeitura de Rio Preto neste momento estão sendo feitos “serviços de terraplenagem, redes de drenagem e pavimentação”, diz o documento. As obras tiveram início logo após assinatura do prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), no dia 6 do mês passado, da ordem de serviço para execução das obras previstas no primeiro lote do anel viário do município. O anel faz parte do plano viário local e prevê a ligação da rodovia BR-153 com a Washington Luís (SP-310), já no município de Mirassol fazendo um contorno entre várias regiões periféricas da cidade.

A obra foi dividida em quatro lotes. Quando concluído o sistema terá extensão de 35 quilômetros integrando os bairros, desafogando as vias centrais e proporcionando maior mobilidade aos motoristas. Eles não precisarão passar pela região central para acessar determinados bairros. Atualmente, existem 22 quilômetros de vias, mas são necessárias obras de recape, pavimentação e drenagem para que possam ser interligadas possibilitando o anel viário. Ao todo serão 13 quilômetros de vias construídas para finalizar o projeto.

“Temos grandes avenidas que circundam a cidade, mas elas estão interrompidas. Faltam 13 quilômetros, em especial nas bacias, onde são necessárias obras de arte, viadutos e obras para romper esta interligação. Obra de infraestrutura que vai melhor o trânsito, economizar tempo dos motoristas e dar mais segurança. Vai facilitar o acesso de um bairro a outro”, destacou Edinho.

“É uma obra importante para Rio Preto porque você acaba com a necessidade dos motoristas terem de vir para a região central para acessar bairros periféricos”, disse o secretário municipal de Planejamento, Israel Cestari.

Próximas etapas

A Constroeste também venceu a licitação para as obras prevista no segundo lote. Ao todo serão gastos nesta fase R$ 21,5 milhões para execução dos serviços. A Secretaria de Obras explica que “após o encerramento do processo licitatório está sendo formalizado o contrato com a empresa para que possamos emitir posteriormente a Ordem de Serviços e definir a data de início e a programação dos locais”.

Para esta fase as intervenções vão dar continuidade às obras anteriores interligando a região dos condomínios Damha à região norte. O preço orçado inicialmente era de R$ 22 milhões. A empresa responsável vai ter de interligar com a avenida do linhão que passa no Shopping Cidade Norte, cruzando a região norte.

A última etapa para abertura de licitação será para obras próximas ao Residencial Palestra, na rotatória existente na região e Jardim Gabriela, para avançar até a região da Vila Toninho, fechando o anel viário. “O processo licitatório desta etapa está em andamento e o valor da planilha do edital (preço base) é de R$ 11,4 milhões”, diz nota enviada à Gazeta de Rio Preto.

O anel viário de Rio Preto tem custo estimado em R$ 70 milhões. A obra está incluída no financiamento de R$ 203 milhões que a Prefeitura conseguiu do governo federal.

O dinheiro está sendo aplicado em intervenções viárias, como recape de 188 quilômetros já anunciado por Edinho e de infraestrutura pela cidade. Segundo o governo as obras da primeira fase, na região sul, não estão afetando o trânsito, já que nos locais não existem vias de circulação.

Viaduto região norte

As obras do Complexo Viário Mirassolândia/Domingos Falavina já estão com cerca de 70% concluídas. O conjunto de viadutos vai interligar as vias Capitão Faustino de Almeida, Mirassolândia e Domingos Falavina, com seis alças às vias que dão acesso à região Norte. E conta com seis alças de acesso, duas pontes, projeto de acessibilidade e iluminação ornamental.

A obra faz parte do Plano de Mobilidade Urbana que contempla as demais obras do sistema, como o viaduto da avenida João Mesquita e os corredores de ônibus. O complexo tem custo de R$ 24,8 milhões e utiliza recursos financeiros do Programa Pró-Transporte, Modalidade Pró-Transporte – Setor Público, por meio de convênio com a Caixa Econômica Federal. Além de desafogar o trânsito na rotatória da avenida Ernani Pires Domingues, o viaduto irá facilitar a vida de 100 mil passageiros do transporte público, já que o transporte por ônibus será mais rápido. A previsão informada pela empresa Constroeste, que venceu a concorrência, é de que a obra seja entregue no início de 2020.

 

Por Raphael Ferrari em 18/06/2019 às 23:59
TerrasAlphaville