GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Cidades

Caso Rolex: Polícia Civil identifica terceiro membro de quadrilha que agia em Rio Preto

Dos três criminosos que praticaram roubos na cidade, um está preso e outros dois estão foragidos. Pelo menos sete ações foram registrada em Rio Preto

A Polícia Civil de Rio Preto identificou o terceiro criminoso que participou de roubos de relógios Rolex em Rio Preto entre os meses de fevereiro e março. Pelo menos sete pessoas foram alvos dos criminosos, mas a suspeita que o número possa ser maior, pois muitas das vítimas não registraram boletim de ocorrência. Dos três criminosos identificados, um está preso e dois estão foragidos, mas com pedidos de prisão solicitados ao Ministério Público.

Durante as investigações, um dos suspeito foi preso em uma ação conjunta entre os investigadores do Setor de Investigações Gerais (SIG) 1°, 2° e 5° de Rio Preto, Polícia Militar e equipes do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) da região de Campinas.

“Após uma ação em Rio Preto a vítima conseguiu identificar o carro usado pelos assaltantes e forneceu informações precisas para Polícia Militar e Civil. Em uma ação conjunta, um dos membros desta quadrilha foi detido região de Itupeva. A partir deste momento, nossa investigação que já estava em andamento, conseguiu identificar um dos criminosos e também o possível líder” explica o delegado Ricardo Afonso Rodrigues.

Logo após a prisão do primeiro membro da quadrilha, um segundo criminoso foi identificado, mas não foi localizado. “Os dois homens identificados eram o ‘olheiros’, ou seja, eles percorriam as principais avenida de Rio Preto e quando localizavam uma vítima, eles faziam contato via fone com o terceiro criminoso, e este que até então não tinha sido identificado, fazia a abordagem a mão armada”, conta o delegado.

O serviço de inteligência da Polícia Civil conseguiu identificar o terceiro suspeito. A imagem deste criminoso foi mostrada para sete vítimas, das quais, quatro reconheceram o homem imediatamente.

“Este terceiro criminoso foi reconhecido e está com pedido de prisão pedido. Na semana passada, nossos investigadores seguiram até Taboão da Serra na tentativa de prender os três criminosos, já que o primeiro que foi preso em março estava em liberdade, pois os advogados de defesa dele conseguiram que o habeas corpus. Então nesta última ação, este mesmo criminoso já detido foi preso novamente, e os outros dois estão foragidos, mas ambos tem o pedido de prisão decretado”, confirma Ricardo.

Autor de latrocínio identificado

Durante o trabalho de investigação em Taboão da Serra, policiais civis de Rio Preto identificaram um suspeito que pode ser o autor de um latrocínio (roubo seguido de morte) na cidade de Uberaba.

No dia 1 de maio, o pecuarista colombiano José Guillermo Hernandez Aponte, de 53 anos, deixava o recinto de exposição, onde acontecia a ExpoZebu, ao entrar no táxi foi abordado pelo criminoso. A vítima reagiu e foi morta a tiros.

 “Nossos investigadores identificou este suspeito. Ele não não praticou ações em Rio Preto, mas ele é responsável pela morte de um pecuarista no Estado de Minas Gerias. Segundo informações da Polícia Civil daquele estado, o criminoso abordou o pecuarista e exigiu o rolex, a vítima reagiu e foi morta a tiros” conta o delegado.

A Polícia Civil de Minas Gerais tinha o retrato falado do suspeito, mas não tinha a identificação dele. “Acreditamos que as investigações que estão sendo feitas em Minas avançarão, pois o criminoso foi identificado. Nossa investigação conseguiu contribuir com o trabalho dos policiais de Uberaba” concluí Ricardo Rodrigues.

Por Alex Pelicer em 11/06/2019 às 13:00
TerrasAlphaville