GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Cidades

Festa com cenário de favela causa polêmica nas redes sociais

A festa foi realizada na noite de sexta-feira, dia 6, para os cerca de 1400 médicos cooperados da Unimed Rio Preto e um dos cenários construídos representava uma favela

 

Uma festa promovida pela operadora de plano de saúde Unimed gerou polêmica nas redes sociais após a divulgação de fotos e vídeos onde mostravam um dos cenários que representava uma favela. O evento aconteceu na noite de sexta-feira, dia 6, em um buffet de Rio Preto para 1400 convidados.

O cenário exibia cenas como "churrasco na laje", emaranhado de fios na rede de energia, roupas penduras entre outros detalhes. Nas redes sociais diversas publicações apontavam a decoração com inapropriada.

O Conselho Afro Rio Preto divulgou nas redes sociais uma nota de repúdio dizendo "a Unimed Rio Preto promoveu festa de luxo para os seus associados com a temática “país das maravilhas”, onde parte do cenário tratava-se da representação de uma favela, juntando-se a isso alusões a itens da cultura afro brasileira, além de forte presença de pessoas negras trabalhando para servir os convidados. Não bastante o tratamento superficial do que é a vivência em uma comunidade de favelas, a representação inclui como características deste cenário a falta de organização e higiene, depreciando e denotando desdém à real situação de mais de 11 milhões de brasileiros, em sua esmagadora maioria negros e negras. A exposição distorcida da vida em uma comunidade apresentada em uma festa de luxo é no mínimo reflexo da insensibilidade com a situação desses povos, refletindo também a absoluta falta de pessoas negras na direção dessa empresa e na elaboração do evento. Para qualquer negro conhecedor das situações de pobreza e da falta de políticas públicas para que as comunidades se desenvolvam é fácil a percepção de que glamourizar a miséria e a falta de investimento público é extremamente problemático".

A nota do Conselho Afro Rio Preto ainda dizia que "favela não é piada ou entretenimento. Antes de qualquer coisa, é luta por moradia e condições básicas para viver, trabalhar e sobreviver ao descaso estatal. Essa situação não dialoga com festas luxuosas, enquanto grande parte dessa população não possui ao menos condições para arcar a contratação de planos de saúde. A vida nas periferias, assim como a vida da população negra não deve ser tratada de modo depreciativo, ou ser pano de fundo para piadas e diversão. É nítido que a negritude encontra-se em severa desvantagem econômica e nossa luta é diária para a reversão deste quadro, não sendo construtivo para essa causa a deturpação das condições de nossos povos, a exposição da miséria em forma de atração exótica e o costume de taxar como vitimismo as nossas manifestações".

A publicação feita pelo Conselho termina dizendo "que não condena diretamente a participação de pessoas negras no quadro de trabalhadores dessa festa, uma vez que sabemos da necessidade de sobreviver e da falta de opções que nos são ofertadas; ressaltamos assim a necessidade de conscientização e união da comunidade negra em São José do Rio Preto para que situações desonrosas como essa não tornem a se repetir e que sejam devidamente reparadas".

Por nota, a Unimed Rio Preto afirmou que "promoveu uma festa de confraternização para médicos cooperados com o tema “No País das Maravilhas”, numa alusão direta à obra do escritor inglês Lewis Carrol e ao Brasil, estabelecendo um paralelo entre as interpretações deste clássico da literatura universal e a realidade brasileira. A cenografia do evento usou recursos lúdicos com a intenção de despertar entre os convidados uma reflexão crítica a partir da representação de um mundo aparentemente sem sentido, como é o mundo de Alice. Assim, o evento destacou as maravilhas brasileiras sem abrir mão de fazer contundentes críticas sociais. O Brasil, de forma plural, foi retratado com a magia do carnaval, os bonecos de Olinda, as baianas e os acarajés de Salvador, o futebol, a música sertaneja, o forró, o samba-rock e o pop nacional".

Ainda de acordo com a nota a Unimed justificou que "na gastronomia, trouxe a culinária do Pará, do Maranhão, da Bahia, entre outros Estados. Dentro deste contexto, as comunidades também fizeram parte, justamente, pra lembrar aos participantes que existem muitos contrastes sociais no País. As pessoas contratadas para trabalhar no evento foram recrutadas pela qualidade da prestação de serviços que oferecem. A Unimed São José do Rio Preto é uma empresa inclusiva, plural, comprometida em promover a diversidade em todos os seus projetos de marca empregadora. É reconhecida entre as melhores empresas para se trabalhar no Brasil, de acordo com diversos rankings nacionais".

E concluiu dizendo que "infelizmente, pessoas que não participaram da festa deturparam, a partir de fotos e vídeos publicados em redes sociais, a interpretação do propósito do evento com citações errôneas. Reiteramos nosso compromisso com a verdade e a transparência, pilares de sustentação da Unimed Rio Preto".

 

Por Da Redação em 09/09/2019 às 10:35
TerrasAlphaville