GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Cidades

Idoso que morreu durante incêndio em asilo estava preso à poltrona

Informação está no inquérito policial e foi confirmada pela advogada da entidade. O técnica, conhecida como restrição mecânica, é uma medida de segurança amparado por normal federal. A Polícia Civil agora apura o que causo as chamas

Investigações da Polícia Civil apontam que o idoso João Batista Pereira de Carvalho, de 63 anos, estava preso à poltrona por um lençol quando o fogo começou. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas quando socorristas chegaram ao Lar São Vicente de Paulo, a vítima já estava sem vida. O acidente aconteceu no dia 21 de agosto. O inquérito ainda não foi concluído e o delegado responsável pelo caso aguarda os últimos laudos.

O delegado do 3° Distrito Policial, Renato Pupo, deu detalhes das investigações. “Apurou-se que o João ficava na ala dos independentes, aqueles que tem transito livre por todo lar, mas no dia do acidente, ele foi transferido ao setor dos dependentes, devido uma queda. Por prescrição médica, o idoso não estava autorizado a retornar aos aposentos dele. E momentos antes do incêndio, ele estava restrito a um assento preso por um lençol”, explica.

Sobre o que provocou o princípio de incêndio, o delegado afirmou que ainda aguarda alguns laudos para concluir o inquérito. “Estamos aguardando dois laudos periciais, um de levantamento do local e outro com regravação das imagens do circuito interno, que gravou toda a cena. Vamos ouvir outros parentes da vítima e após a analise deste material que aguardamos, poderemos concluir o caso” afirma Pupo.

Ainda de acordo com o delegado, todos os documentos solicitados ao asilo, como CNPJ da instituição, alvarás da prefeitura, Corpo de Bombeiros, Conselho Municipal do Idoso e Ministério Público estão em dia.

Procurada pela reportagem, a advogada Tatiana Cristina Maciel explicou a necessidade do uso da técnica conhecida como restrição mecânica. “É amparada pela norma 427 de 2012 do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). Ela é usada quando o paciente, no caso o idoso, pode causar dano a si mesmo. Ou seja, ela é uma ação preventiva para evitar que o paciente sofra uma queda. É importante ressaltar que o paciente fica amarrado, impossibilidade de movimentos, ele é fixado por uma faixa na poltrona ou na cama, mas os membros ficam livres”, diz.

A advogada contou que foi necessário o uso a técnica no idoso, pois ele já tinha sofrido uma queda. “No período da tarde o paciente estava com a pressão alta e caiu. As enfermeiras o socorreram e o colocaram na poltrona. E a indicação da restrição foi exatamente para ele não cair de novo, é uma medida de segurança” afirma Tatiana.

“No dia em que aconteceu o acidente, os funcionários ficaram bastante mexidos, pois eles cuidam dos pacientes com bastante atenção. O acidente foi uma fatalidade, nunca o Lar registrou algo parecido” lamenta a advogada.

O acidente

De acordo com o boletim de ocorrência registrado no dia dos fatos, por volta das 22h, duas auxiliares de enfermagem, que estavam de plantão, escutaram um pequeno estouro. Ao verificar o que estava acontecendo, elas encontraram a poltrona já tomada pelas chamas. 

As auxiliares retiraram o idoso do assento e o Corpo de Bombeiros foi acionado. Quando as viaturas chegaram ao local, João  já estava sem vida. Após o fogo ser apagado, o local foi isolado até a chegada da perícia. Outros idosos foram removidos as pressas para outra ala do asilo por precaução.

As duas auxiliares de enfermagem receberam atendimento médico, pois inalaram fumaça. Elas foram encaminhadas a unidades de saúde e liberadas. O corpo do idoso foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) e laudo necropsias para apontar as causas da morte.

Por Alex Pelicer em 09/09/2019 às 15:40
TerrasAlphaville