Cidades

Obra paralisa tráfego de trens em Rio Preto

Lançamento de vigas para construção do viaduto da rua Izidoro Pupin fez com que o fluxo da linha férrea fosse interrompido das 6h às 22h

O lançamento de 28 vigas para a construção do viaduto da rua Izidoro Pupin, fez com todo o tráfego da linha férrea que cruza Rio Preto fosse interrompido na quinta-feira, dia 26. A operação, que envolveu 80 homens, aconteceu entre os bairros Distrito Industrial e Residencial Palestra.

Ao todo, 23 comboios deixaram de transitar no período de intervenção, que foi das 6h às 22h. A ação foi organizada pela Secretaria Municipal de Obras, Rumo Logística e a em­presa responsável pela construção do viaduto.

Em fevereiro deste ano, o prefeito Edinho Araújo assinou a ordem de serviço para o iní­cio das obras na rua Izidoro Pupim, que liga as avenidas Ernani Pires Domingues e Feli­ciano Sales Cunha. Além das melhorias na via, o projeto extingue o cruzamento em nível da via com a ferrovia. As obras custarão R$ 5,1 milhões aos cofres públicos e a previsão de conclusão é abril do ano que vem.

Durante a operação do lançamento das vigas, Edinho falou sobre a importância da cons­trução do viaduto para a população. “Toda passagem em nível pode acontecer o confli­to entre o rodoviário e o ferroviário. A ten­dência é que nos próximos anos, aumentem ainda mais os comboios nas linhas férreas, e então vamos eliminar este ponto de conflito. Quando a obra for concluída, o trem passará por cima neste viaduto e na passagem infe­rior transitarão pedestres, veículos e ciclistas”, afirma o prefeito.

No local serão realizadas obras de pavimen­tação asfáltica, - antes era uma via de terra – e drenagem da água da chuva. Também es­tão no projeto à construção de calçadas com acessibilidade e a sinalização viária.

O secretário municipal de obras, Sergio Issas, detalhou como foi a ação que envolveu 80 ho­mens, dois guindastes e máquinas retroesca­vadeira. “Foi necessária a paralisação da linha férrea por que retiramos cerca de 40 metros dos trilhos. Após a retira destes foram feitos os lançamentos das vigas pré-moldadas, que farão a função da laje de piso e da linha de trem. Após a conclusão desta fase começamos a complementação da brita para estabilização da linha férrea e finalizamos voltando o tri­lho”, diz.

“Essa rua sempre foi de terra, mal sinalizada e com passagem em nível da linha férrea. A região cresceu muito, com muitas indústrias e residências próximas. Era uma reivindicação antiga dos moradores próximos e das pesso­as que trabalham nas indústrias. Eliminando o cruzamento em nível, proporcionará uma maior segurança”, disse o secretário.

Por Da Redação em 26/12/2019 23:59