GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Cidades

Verão chuvoso deixa Secretaria de Saúde em alerta para novo surto de dengue

Estação será chuvosa e favorável para proliferação das larvas do mosquito Aedes aegypti. No ano passado, dengue matou 19 pessoas em Rio Preto

Sem sofrer a influência dos fenômenos El Niño ou La Niña, a previsão é que este verão seja um dos mais chuvosos na maior parte do país, principalmente na região Sudeste. As condições do tempo são fundamentais para a agricultura, mas é necessário cuidado nesta época, pois o clima quente e poças de águas são favoráveis para proliferação das larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

No ano passado, Rio Preto registrou 19 mortes em decorrência da dengue. Os casos foram registrados nos primeiro cinco meses, sendo maio com sete mortes. A Secretaria Municipal de Saúde recebeu 42.737 notificações ao longo do ano, destas, mais de 32 mil casos foram confirmados. Para evitar um novo surto, a pasta vem realizando ações protetivas.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde afirmou que “ações de eliminação de criadouros estão sendo executadas pelo município e todas as equipes de agentes de saúde estão atuando ininterruptamente com ações educativas e de mobilização social”, afirma.

Ainda de acordo com a Secretaria, a maior dificuldade ainda é conscientizar a população da importância de participar ativamente do combate ao Aedes. “É muito importante realizar semanalmente uma vistoria em seu imóvel, retirando possíveis criadouros como objetos que possam acumular água em seus quintais, e também realizando o tratamento com cloro ou detergente em recipientes que podem ser tratados, como a bandeja localizada na parte de trás das geladeiras e nos ralos que não são utilizados diariamente. Deve-se levar em consideração que o ciclo de vida do mosquito é de no máximo sete dias”, alerta nota.

O estudante Antônio Batista de Souza Júnior, 22 anos, foi um dos 32 mil casos positivos para a dengue. “Começou com um pouco febre, mas tomei dipirona e parou. Porém após um curto espaço de tempo, a febre voltou e não passava mesmo com medicação. No dia seguinte já senti dores no corpo e principalmente nas articulações. Então procurei uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e fiz exames. No terceiro dia apareceram pequenas manchas vermelhas espalhadas pelo corpo e desconforto nos olhos”, diz.

“É importante cada uma fazer sua parte, não adianta apenas a prefeitura fazer mutirões de limpeza quando as pessoas ainda insistem em não cuidar do próprio quintal. Se houvesse a colaboração do poder público e da população a dengue seria erradicada do município, mas infelizmente nem todos se preocupam e todo ano, no período de chuva, a história se repete. Pessoas morrem de dengue por negligências de outras”, diz o estudante.

Durante o período de chuvas a Secretaria de Saúde também orienta sobre a necessidade de vistorias não apenas nos quintais, mas também nos telhados, calhas, lajes e caixas d´água. “Orientamos também que a população receba os agentes de saúde em suas casas, pois hoje existe um grande número de recusas aos agentes. Se houver necessidade de denúncia, que podem ser anônimas, a população deve entrar em contato pelo telefone 08007705870 (Ouvidoria da Saúde) e informar o endereço do local denunciado”, afirma a Secretaria de Saúde.

Por Da Redação em 16/01/2020 23:59
TerrasAlphaville