GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Cidades

Juiz autoriza internação de trio suspeito de matar jovem a facadas

Os três adolescentes, com idade de 15 a 17 anos, foram apreendidos pela PM na noite de quarta-feira, dia 12, momento após o assassinato

O juiz da Vara da Infância e da Juventude, Evandro Pelarin, pediu a internação dos três adolescentes suspeitos de terem matado com 40 facadas o auxiliar de motorista Richard Henrique de Maura, de 22 anos, morto na noite de quarta-feira, 12, no Jardim Maracanã, em Rio Preto.

O trio será encaminhado para a Fundação Casa e ficará apreendido inicialmente por 45 dias. A apreensão do trio foi horas após o homicídio registrado no bairro Jardim Maracanã, em Rio Preto, na noite de quarta-feira, dia 12. Os menores teriam armado uma emboscada para atrair a vítima.

O trio está provisoriamente detido em celas especiais, separados dos demais detentos, na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e aguardam transferência para Fundação Casa.

Após os 45 dias, os menores poderão ser julgados e internados por três anos, pena máxima estabelecida pelo Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). Se houvesse redução penal para crimes graves, os adolescentes poderiam ser condenados de 12 a 30 anos, já que foram indiciados por homicídio qualificado.

Com vários artigos publicados, o juiz Evandro Pelarin, diz a favor da redução penal em crimes como este. “Desde que estou na magistratura, há mais de 20 anos, sempre defendi a redução da idade penal para 16 anos para crimes graves como este. Também defendo o aumento de tempo para medida socioeducativas de internação para crimes graves. A constituição federal fixa a imputabilidade até os 18 anos é de no máximo três anos”, afirma.

Frieza e deboche

O delegado Allan Athayde Soares, que estava de plantão na Central de Flagrantes e acompanhou o depoimento dos três suspeitos, admitiu que ficou chocado com a frieza dos adolescentes. “Nos últimos anos, acho que esta foi a ocorrência que mais me chocou e chamou a atenção pela forma que os três adolescentes se portaram ao prestarem esclarecimentos. Além da gravidade da forma que ocorreu, eles não demonstraram arrependimento. Pelo contrário a garota estava sorrindo e um dos adolescentes chegou a dizer que a vítima merecia. Na consciência dele, é como se tivesse razão no que ele fez. A motivação, por causa de uma blusa de frio, o jeito que eles trataram a vida, o pouco valor que deram. É chocante até para mim que estou acostumado”, afirma Allan.

Um dos adolescentes, ao assinar o depoimento, ao invés de escrever com o próprio nome, teria assinado o documento como ‘Camaleão’.

Ainda de acordo com o delegado, as investigações continuam. “Está claro para nós que a adolescente simulou um encontro para atrair a vítima, e os dois adolescentes mataram o rapaz. Durante os depoimentos dos três, que foram ouvidos separadamente, eles foram bastante incisivos e não apontaram a participação de nenhum elemento além do trio. Mas ainda assim vamos apurar a participação de outras pessoas. O motivo do crime, até o momento apurado, seria de fato o furto de uma blusa de frio de um dos menores”, diz.

Nenhum dos adolescentes tinha passagens pela polícia. Eles foram indiciados por homicídio qualificado.

Entenda o caso

De acordo com o boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi acionada para atender uma possível ocorrência de atropelamento com morte no bairro Jardim Maracanã. Quando os PMs chegaram ao local dos fatos, socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informaram que a vítima identificada como Richard Henrique de Maura, 22 anos, tinha sido morto a facadas e não atropelado.

Testemunhas informaram que antes de perder a consciência, o rapaz teria informando o nome de um dos autores. Policiais identificaram o primeiro suspeito, um adolescente de 15 anos, que morava próximo ao local do crime. PMs seguiram até o endereço e, em contato com um dos familiares, foram informados que o adolescente tinha acompanhado um casal até o ponto de ônibus.

Policiais seguiram até o local indicado e o casal de adolescentes, ambos com 17 anos, foram abordados. Questionados, assumiram o homicídio em companhia do outro adolescente de 15 anos. Os três foram encaminhados à Central de Flagrantes para prestarem depoimentos.

Ao detalhar o crime, eles afirmaram que o rapaz teria furtado uma blusa de frio do adolescente de 15 anos. E na noite do crime, para atrair a vítima, a adolescente de 17 anos marcou um encontro com o jovem. Quando ele chegou ao local, a garota o distraiu e, neste momento, os dois adolescentes armados com facas iniciaram o ataque. Após esfaquear o rapaz por dezenas de vezes, o trio fugiu.

 

Por Da Redação em 13/02/2020 23:59
TerrasAlphaville