Cidades

Privatização do aeroporto de Rio Preto será em novembro

O governador em exercício, Rodrigo Garcia (DEM), afirmou pelas redes sociais que concessão acontecerá no segundo semestre deste ano e será dividida em dois blocos

O governador em exercício de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), afirmou pela sua conta oficial no Twitter que a privatização do aeroporto de Rio Preto e dos demais administrado pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) deverá acontecer até o mês de novembro. A decisão era aguardada desde janeiro do ano passado quando o governador anunciou a privatização de todos os aeroportos.

A modelagem para concessão da rede de 22 aeroportos regionais, hoje administrado pelo Daesp, será dividida em dois blocos. Um lote ficará encabeçado por Ribeirão Preto e outros 13 aeroportos. O outro, por Rio Preto e noves aeródromos.

Quem vencer a disputa deverá investir em torno de R$ 700 milhões, sendo R$ 400 milhões em melhorias de curto prazo na infraestrutura aeroportuária e R$ 300 milhões para manter a operação dos terminais ao longo dos 30 anos de vigência do contrato.

O superintendente do Daesp, Antônio Claret de Oliveira, também falou sobre o processo de blocos de desestatização dos aeroportos do Estado de São Paulo. “Nos últimos oito meses, tivemos um trabalho bastante técnico de entender e avaliar como deveríamos fazer este processo. A modelagem apontou com resultado positivo, que a melhor maneira seria a divisão dos dois blocos. O resultado ficou bastante apropriado e a impressão que temos que teremos muito sucesso neste projeto dado ao fato deste resultado positivo da analise econômica”, disse.

O superintendente do Daesp também fala da expectativa da privatização aeroportos. “É um processo desestatização hoje que mais de moderno no pensamento estratégico no mundo, os aeroportos de grande capacidade estão todos na mão da iniciativa privada, é uma de expertise, de investir, buscar novos projetos, novas formas de gerencia e com muita velocidade. O mundo é veloz, principalmente na área de aeroporto”, afirma.

Para Antônio Claret, com os aeroportos privatizados, o Estado deixará de gastar recursos com Daesp e poderá investir em outros setores. “Precisamos da iniciativa privada para colocar mais recurso, mais tecnologia e facilitar o intercambio com outros gestores aeroportuários do mundo. O governo poderá aproveitar o recurso Estado em outros importantes setores, como saúde, educação e segurança”, disse.

Aumento no número de passageiro

Para o superintendente do Daesp, ações do governo foram importantes para o aumento nos números de passageiros no Estado de São Paulo. Na visão de Antônio Claret, a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no querosene e a ampliação e investimentos em aeroportos foram fundamentais.

“O principal motivo desta alta do número de passageiro se deu com  o aumento de voos, que foram implementados nos voos do Estado de São Paulo. A redução do ICMS de 25% para 12% reduziu o custo operacional e, em contra partida tivemos a prospecção do aumento de voos semanais. Outro fator, foi aumento de aeroportos com voos comerciais. Antes, tínhamos seis pontos de aviação comercial e resolvemos implementamos outros cinco aeroportos. Foram investidos ao longo de 2019 R$ 31 milhões, afirma”, afirma.

O terminal de passageiros do aeroporto de Rio Preto recebeu em 2019, uma média diária de aproximadamente 2,2 mil passageiros, segundo dados estatísticos do Daesp.

Se comparado com o mesmo período de 2018, houve um aumento de 3,5% no número de usuários. Já na operação de pouso e decolagens foram registradas mais de 20 mil movimentações no ano passado, uma média de 55 movimentos diários. Deve-se levar em consideração que foram somando os números tanto da aviação comercial quanto da aviação geral, que são aviões de pequeno porte ou particulares.

Por Da Redação em 13/02/2020 23:59
TerrasAlphaville