Cidades

Vigilância sanitária multa 42 estabelecimentos que descumpriram o decreto

O decreto estadual, assim como o municipal determina a suspensão de uma série de atividades e estabelece o funcionamento apenas de serviços essencial

A Prefeitura de Rio Preto, por meio da Secretaria de Saúde, informa que do dia 24 ao dia 31 de março a vigilância sanitária autuou 42 estabelecimentos que descumpriram o decreto nº18.571, sendo:

8 pet shops
8 restaurante e lanchonete 
7 supermercados
2 indústria 
1 imobiliária 
1 atividade religiosa
1 clube 
1 distribuidora de bebidas 
1 transportadora 
1 loja de suplementos alimentares 
1 clínica odontológica 
1 comércio varejista de brinquedos
1 comércio varejista de peças 
1 comércio de material hospitalar
1 comércio de material de construção
1 comércio de material de limpeza
1 ambulante
1 comércio de bebidas
1 serviço de impressão e cópia
1 tabelião de notas
1 banco

O decreto estadual, assim como o municipal determina a suspensão de uma série de atividades e estabelece o funcionamento apenas de serviços essenciais. Recomenda, ainda, que a circulação de pessoas em todo o estado de São Paulo se limite às necessidades imediatas de alimentação, cuidados de saúde e exercício de atividades essenciais, dentre outros pontos.  

As fiscalizações nos locais estão sendo realizadas pela Vigilância Sanitária, a Guarda Civil Municipal, a Polícia Militar e os fiscais de postura de outras secretarias que integram o do Comitê Gestor de Enfrentamento do Coronavírus.  

 

Dúvidas estabelecimentos

A Prefeitura de Rio Preto, por meio do Comitê Gestor de Enfrentamento do Coronavírus, disponibilizou quatro números de telefone para tirar dúvidas sobre estabelecimentos que podem ou não estar funcionando de acordo com o decreto do estado de emergência em saúde pública da cidade.

O decreto 18.559, publicado no último sábado (21/3), determinou o fechamento obrigatório de todos os estabelecimentos considerados não essenciais no município a partir de segunda-feira, dia 23.

Os telefones são: 0800-77-17-123 ou 0800-77-05-870 (gratuitos) e também os (17) 3216-9758/(17) 3216 9765

 

 

 

 

Por Da Redação em 31/03/2020 16:01