Cidades

Mulher pede ajuda na padaria para se livrar de marido agressor

Casal morava na Bahia e está em Rio Preto há pouco mais de um mês

A vítima é uma mulher de 45 anos. O marido dela tem 21. Informações do boletim de ocorrência dizem que a Polícia Militar foi acionada para ir até uma padaria no bairro Bela Vista em São José do Rio Preto. O motivo seria uma mulher que foi até lá e pediu ajuda para se livrar do marido.

Chegando ao endereço, os policiais falaram com a mulher que disse que ela e o marido estão em São José do Rio Preto há aproximadamente um mês e meio e que antes moravam na cidade de Cafarnaum, no estado da Bahia. Relatou que na cidade baiana ela sofria com agressões praticadas pelo marido, mas nunca o teria denunciado por medo de represálias.

A mulher contou também que na última semana o companheiro dela não permitia que ela saísse sozinha, e que o único lugar que poderia ir, de forma rápida, era na padaria. Segundo ela, o marido fazia tortura psicológica com agressões verbais, inclusive dizendo que mataria os filhos dela. Contou também que quando não queria manter relações sexuais, o marido a violentava.

Enquanto narrava a situação para os militares, o marido apareceu e ambos foram levados para a delegacia. Na Central de Flagrantes ela contou que vive com o marido há dois anos e que não tem filhos em comum, todavia ela tem três filhos de relacionamentos anteriores. Falou que quando contesta o marido, ele a agride também fisicamente com tapas e socos e que no dia 31 de março ele teria a agredido com chutes nas pernas porque viu uma conversa dela com a mãe na qual ela dizia que queria se separar dele.

A vítima disse que ontem, 7 de abril, por volta das 19h30 precisou ir à farmácia e que na volta teve a ideia de pedir socorro para as atendentes da padaria onde costuma comprar. As funcionárias chamaram a Polícia Militar que compareceu e levou ambos para a delegacia.

Já o marido disse ao delegado que não agride a esposa. Falou que se mudaram para São José do Rio Preto porque uma mulher, que se apresentou como sendo de uma igreja, tinha oferecido ajuda, mas que isso não tinha acontecido. Negou que impedisse que ela saísse de casa e também negou que comete agressões contra ela.

A mulher pediu ajuda para a polícia para pegar os pertences em casa e seguir para a casa da mãe que mora em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo. A PM acompanhou a vítima até em casa e depois até a rodoviária.

O marido será investigado, mas após o depoimento foi liberado. A mulher não quis representar criminalmente contra ele, mas pediu medida protetiva de urgência.

 

Por Fabrício Santana em 08/04/2021 12:01