Cidades

Polícia Civil de Barretos realiza segunda fase de megaoperação contra o crime organizado

Na primeira fase da operação, ocorrida em julho de 2020, já haviam sido presas 23 pessoas por envolvimento com a organização criminosa

A Polícia Civil de Barretos, desencadeou, na manhã de hoje (20), a segunda fase da megaoperação “Éfodo”, destinada a prender diversos membros de organização criminosa paulista que age dentro e fora dos presídios. Participam policiais civis de outras unidades do DEINTER-3 (Ribeirão Preto), DEINTER-4 (Bauru), DEINTER-5 (São José do Rio Preto), da Delegacia Regional de Três Corações, em Minas Gerais e do Canil da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP/Ribeirão Preto),

A investigação começou há cerca de dois anos, a partir da prisão de uma das lideranças da organização criminosa. Desde então, os investigadores passaram a analisar celulares, computadores e documentos, os quais possibilitaram a identificação de outros membros da organização criminosa, assim como de parte do grupo que se dedicava a compra, venda e distribuição de drogas na região de Barretos. Na primeira fase da operação, ocorrida em julho de 2020, já haviam sido presas 23 pessoas por envolvimento com a organização criminosa.

Em relação à segunda fase da operação policial, a autoridade policial que presidiu o feito solicitou à Justiça 14 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão contra os membros da citada organização criminosa. Os mandados foram deferidos pela Justiça, após concordância do Ministério Público e os policiais foram às ruas para cumpri-los nesta terça-feira.

As diligências foram efetuadas nas cidades paulistas de Barretos, Colina, Taiúva, Balbinos, Getulina, Marília, Pirajuí, Riolândia e em Três Corações, em Minas Gerais.

O nome da operação tem relação com a Grécia antiga, já que os éfodos eram os responsáveis por evitar o extravio de cartas. Um dos investigados, preso nas duas fases da operação, cumpria este papel de levar cartas de presidiários faccionados com reivindicações às lideranças que estavam em liberdade.

Participaram da operação 80 policiais civis divididos em cerca de 20 viaturas.

Por Da Redação em 20/04/2021 09:22