Cidades

IML descarta homicídio de idoso encontrado morto em Rio Preto

Informação foi confirmada ao Gazeta por meio da família; corpo de Osvaldo Ribeiro, de 69 anos, foi encontrado em estado avançado de decomposição, no Jardim das Oliveiras. Ele sofria de Alzheimer e estava desaparecido desde o dia 12 de abril

A perícia do Instituto Médico Legal (IML) feita no corpo do aposentado Osvaldo Ribeiro, de 69 anos, encontrado em estado avançado de decomposição ontem (3), em uma mata do Jardim das Oliveiras, em Rio Preto, concluiu que o idoso morreu de causas naturais. A informação foi confirmada à reportagem pela neta dele, Gabriela Ribeiro Moreno.

Segundo Gabriela, foi constatado que não houve maus-tratos e nem homicídio. Osvaldo estava desaparecido desde o dia 12 de abril. A família chegou a procurar por ele por meio de divulgação de cartazes e em redes sociais.

“Fizeram a perícia, foi constatado que não houve maus-tratos. Foi morte natural. Pelo fato dele não conseguir se expressar, ficou sem comer e ficou fraco. Deduz que estava muito fraco, deitou ali e coração parou pela fraqueza. Não tem sinal de corte dos membros. Por ser mata fechada tem animais, tipo cachorro-do-mato. Daí os bichos foram subtraindo os órgãos”, afirmou.

A neta do aposentado, que sofria de Alzheimer, disse ao Gazeta que a família se sente aliviada, apesar da morte do avô.

“Pra nós foi um alívio saber que ele não sofreu como achávamos que tinha sido, e sim que foi uma morte natural, apesar da forma como foi. Ele saiu e não conseguiu voltar. Ele sempre teve dificuldade, por orgulho, de pedir as coisas para as pessoas. Então, acho que nem comida ele pediu. É muito difícil, mas pelo menos ele morreu de uma forma tranquila”, desabafou.

Sobre os sinais de queimaduras encontrados no corpo do avô, a jovem informou que foram provocadas pela alta exposição ao sol.

A família ainda não definiu quando será o enterro do corpo do aposentado.

 

Por Karol Granchi em 04/05/2021 15:25