Cidades

Operação da Polícia Civil apreende 300 diplomas falsos em instituições da região e capital

Segundo a delegacia Seccional de Catanduva, organização criminosa tem forte atuação na região de Rio Preto e Barretos

Uma operação deflagrada pela Polícia Civil de Paraíso, a 82 quilômetros de Rio Preto, nesta quarta-feira (20), coordenada pela delegacia Seccional de Catanduva, apreendeu 300 diplomas falsificados em instituições de ensino da região e também na capital paulista.

Mandados

Na região, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Catanduva e Catiguá. Os trabalhos também se estenderam até São Paulo, São José dos Campos e Osasco. Segundo a Polícia Civil, nessas cidades estão localizadas as residências e sedes de instituições de ensino pertencentes aos principais membros de organização criminosa especializada na falsificação e comercialização de diplomas em vários estados brasileiros, com forte atuação na região Rio Preto e Barretos.

Diplomas falsificados

Segundo o delegado Seccional de Catanduva, Eder Galavotti, 100 pessoas são investigadas, sendo 20 delas com envolvimento direto no esquema. Entre os diplomas falsificados estão os de graduação em sociologia, matemática, história, educação física, pedagogia, ciências biológicas, administração, gestão pública, além de cursos como atendimento educacional especializado, psicopedagogia institucional e clínica, dança e expressão corporal, artes, entre outros.

“As pessoas que conseguem esses diplomas e utilizam sabendo que são falsos, respondem por uso de documento falso, exercício irregular da profissão e ainda, se essa pessoa utilizou o diploma para entrar em cargo público, ela será exonerada e em cargos regidos por CLTs, serão dispensadas”, afirmou o delegado.

Romeo II

Denominada Romeo II – em referência à Resolução II do Conselho Nacional de Educação, que definiu os programas “especiais de formação pedagógica”, inclusive a de segunda licenciatura, foi deflagrada em razão de denúncias acerca do uso de falsos certificados de conclusão de cursos de pós-graduação Lato sensu, segunda licenciatura e bacharelados, os quais eram empregados pelos seus detentores especialmente para evoluções salariais de cargos públicos, para provimentos em cargos e empregos públicos, para inscrições em Conselhos de Classe do Brasil e para muitos outros fins.

Rede criminosa

Ainda de acordo com a Polícia Civil, para a emissão desses certificados e diplomas falsos, a organização criminosa contava com apoio de diversas células distribuídas em várias cidades e estados. A rede criminosa desmantelada criou, ainda, falsa plataforma on-line de renomada universidade para a emissão de diplomas falsos.

Os principais articuladores da organização criminosa foram identificados e responderão por inúmeros delitos, como organização criminosa, lavagem de dinheiro, falsificações documentais e ideológicas e estelionato, após persistente e exaustiva investigação policial desempenhada pela Delegacia de Polícia de Paraíso.

Os documentos e objetos apreendidos nas sedes das instituições de ensino serão examinados e eventuais lesados e autores dos crimes de uso de documento falso e estelionato serão identificados e notificados.

Participaram da operação além de policiais civis da cidade de Paraíso, Catiguá, Novais, Tabapuã, Pindorama, Santa Adélia, Elisiário, Catanduva, São Paulo, Osasco e São José dos Campos. 

Fonte: Karol Granchi

Por Da Redação em 20/10/2021 14:45