Cidades

Operação Ponzi: PF cumpre novos mandados contra esquema de pirâmide financeira

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Rubinéia (SP) e Casa Branca (SP), cidades de dois 'captadores' de recursos financeiros das vítimas.

A Polícia Federal cumpriu nesta quinta-feira, 25, dois mandados de busca e apreensão nas cidades de Rubinéia (SP) e Casa Branca (SP). Os mandados foram expedidos pela Justiça Estadual de Santa Fé do Sul e fazem parte da Operação Ponzi, que desarticulou um esquema de pirâmide financeira na região de Jales (SP) no começo do mês.

De acordo com a PF, os alvos desta nova fase da operação são os suspeitos de captarem os recursos financeiros das vítimas. Após a deflagração da operação, a polícia confirmou que eles ganhavam entre 5% e 10% sobre o total dos valores captados das vítimas. Os valores recebidos pelos investigados variavam entre R$ 100 mil a R$ 200 mil por mês.

Durante a operação desta quinta, foram apreendidos dois veículos, uma embarcação, celulares, mídias de armazenamento, computadores e documentação na residência dos investigados.

Ainda segundo a Polícia Federal, considerando o valor alto de recursos financeiros captados, é possível que os investigados nesta fase possam ter movimentado milhões de reais em comissão pelas captações.

Após representação da PF, a Justiça Estadual de Santa Fé do Sul (SP) decretou o bloqueio dos bens móveis e imóveis, além dos recursos financeiros das contas dos “captadores” investigados, bem como de suas empresas, que permanecerão à disposição da Justiça Estadual.

Prisões

O diretor-geral e a diretora-financeira do grupo investigado por pirâmide financeira de Santa Fé do Sul (SP) estão presos preventivamente após a Justiça Estadual aceitar a denúncia do Ministério Público. O empresário, líder do grupo investigado, já estava cumprindo prisão preventiva.

Até o momento, as estimativas dos bens e valores identificados e bloqueados nas investigações em relação às dívidas contraídas nos empréstimos da pirâmide, em princípio, cobrem apenas uma pequena parcela do prejuízo milionário causado às vítimas.

Operação Ponzi

A Polícia Federal, com o apoio da Polícia Civil e do Ministério Público Estadual, realizou no dia 11 deste mês a Operação Ponzi, que investiga um grande esquema de pirâmide financeira, suspeito de ter movimentado mais de R$ 100 milhões nos últimos quatro anos.

A Polícia Federal apurou durante as investigações que o empresário preso abriu dezenas de empresas e filiais em várias cidades do interior paulista, tendo como fachada a oferta de serviços de créditos de bancos diversos, mas na verdade, toda a estrutura era voltada para convencer poupadores a entregarem suas economias em troca de altas taxas de juros remuneratórios que chegavam até 6% ao mês, que eram pagos com recursos de novos investidores, caracterizando um esquema de pirâmide financeira.

Durante a operação, a PF localizou uma mansão, chácaras e um terreno às margens do Rio Paraná. Foram apreendidos vários carros de luxo, embarcações e uma aeronave. A Justiça também bloqueou R$ 75 milhões de pessoas físicas e jurídicas ligadas à empresa.

Por Da Redação em 25/11/2021 17:00