Redes Sociais

Cidades

Tribunal de Justiça alerta para golpes em nome da instituição

Criminosos utilizam vários meios para praticar fraudes, como telefonemas, cartas, e-mails e falsos sites de leilão

Publicado há

em

O nome do Tribunal de Justiça de São Paulo e de outras instituições do Judiciário são comumente utilizados em golpes contra a população. Por isso, o cidadão deve ficar atento para não cair em armadilhas. Criminosos utilizam vários meios para praticar fraudes, como telefonemas, cartas, e-mails e falsos sites de leilão.
           

Em golpe recente, por exemplo, as vítimas receberam ofício informando a liberação de suposto benefício, devendo o interessado entrar em contato nos números indicados ao final da carta. O fraudador atende e informa que deve ser feito pagamento para que a vítima receba os valores. O falso documento utiliza até mesmo nomes de desembargadores, advogado, cartório e logo do TJSP. Confira sempre as informações oficiais das varas e setores antes de entrar em contato.

Acesse a lista de e-mails institucionais ou pesquise na lista telefônica do Tribunal.

Veja outros tipos de golpes e orientações e como evitá-los:

No endereço www.tjsp.jus.br/auxiliaresjustica/auxiliarjustica/consultapublica, os cidadãos podem verificar se realmente o site do leiloeiro está na lista do TJSP. Mesmo que seja, é fundamental checar se o endereço do site ao qual o cidadão teve acesso corresponde exatamente ao endereço do leiloeiro, pois os criminosos podem usar uma URL muito similar.
           

Outra dica é que, ao clicar no bem que está em leilão, os sites idôneos apresentam informações sobre o processo ao qual aquele objeto ou imóvel está relacionado. Geralmente há o número da ação, a vara e alguns documentos. De posse de tais dados, o interessado pode, ainda, entrar em contato com a unidade por e-mail para confirmar a veracidade do leilão. Confira aqui a lista dos telefones e e-mails corretos das varas.

Telefonemas e mensagens
 

Atenção! O TJSP não comunica ajuizamento de ações ou supostas liberações de créditos por telefone ou WhatsApp e não solicita o pagamento de qualquer quantia. Processos e intimações devem sempre ser consultados diretamente no site do Tribunal. Um dos golpes aplicados por criminosos é o da falsa conciliação. Alguém que se passa por funcionário de fórum telefona e afirma que determinada empresa está com uma ação pronta para dar entrada, mas que pode ser feito um acordo. Se a vítima afirma que aceita o ajuste, a ligação é transferida para um suposto advogado, que informa opções de pagamento e envia boleto por e-mail. É preciso atenção para não cair em armadilhas como essa.

 

AS MAIS LIDAS