Redes Sociais

Cidades

ONG lança Ecoponto para aumentar coleta de tampinhas plásticas e lacres de alumínio

Local terá ponto fixo e estrutura móvel em bairros da cidade

Publicado há

em

Um dos maiores desafios na implementação de medidas de sustentabilidade ambiental é encontrar o equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e social de uma cidade e a preservação do meio ambiente. Retirar os resíduos do meio ambiente, transformando-os em matérias-primas de qualidade, promovendo o desenvolvimento social e agregando valor socioeconômico. 

As inquietações com a sustentabilidade são fundamentais para aliviar problemas ambientais como: poluição, efeito estufa, calefação global, extinção de animais e plantas; e perda de recursos naturais. Pensando no meio ambiente e no bem-estar animal, o Instituto Vira-latas inaugura no próximo dia 26 de maio (quinta-feira), o Ecoponto – Projeto Tampinha que salva. 

Através da arrecadação e separação de lacres de alumínio, tampinhas plásticas de refrigerante, produtos de limpeza e outras embalagens, o projeto, criado em 2019 pela idealizadora e voluntária Claudia De Giuli, gerou recursos para tratamento de animais em situação de vulnerabilidade, além de colaborar com o desenvolvimento sustentável, logística reversa e a economia circular em nosso município. Entre 2019 e maio de 2022, mais de 45 toneladas de tampas e lacres foram retiradas do meio ambiente.

Através de um projeto com catadores de reciclados, o Ecoponto terá além de um ponto fixo, uma estrutura móvel em bairros da cidade para arrecadar tampinhas de garrafas pet, plástico “PAD”, alumínio e papelão. 

Segundo Claudia de Giuli, haverá a troca de pet por ração. “Vamos gerar emprego e recursos para ajudar ainda mais os animais e o meio ambiente”.

O projeto Tampinha Que Salva, faz parte do Instituto Vira Latas, ONG que cuida de animais em situação de vulnerabilidade proporcionando medicações para T.V.T (tumor venéreo transmissível), e medicações para tratamento de outras doenças, aquisição de equipamentos como gatoeiras e caixas de transporte, empréstimos às cuidadoras que capturam gatos de colônia no projeto CED (captura-esteriliza-devolve), bem como no transporte de animais a serem castrados no DIBEA (diretoria do bem estar animal), entre outros. 

“Com a inauguração do Ecoponto será possível transformar o “lixo” em ração e remédios para ajudar mais animais”, finaliza Claudia.

Serviço:
Inauguração Ecoponto
Dia 26 de maio, às 9h
Rua Oswaldo Cruz, n° 855 – Bairro Parque Industrial – Rio Preto

 

AS 10 MAIS LIDAS