Redes Sociais

Cidades

Polícia Civil apura pichação de suástica nazista e ameaça em banheiro de escola

Instituição de Rio Preto informou que já tranquilizou os pais dos alunos e que o andamento das atividades continua normalmente

Publicado há

em

O 1º Distrito Policial de Rio Preto apura a pichação de uma suástica nazista e de frase ameaçadora feita no banheiro masculino de uma escola particular da cidade, localizada na Vila Bom Jesus. Segundo a Polícia Civil, na manhã desta quinta-feira (26) a perícia esteve no local.

Além da suástica, a pichação, que aparenta ter sido feita com uma caneta preta, contém figura obscena e também de um cigarro de maconha, acompanhada da frase “27 de maio vou matar todo mundo #nazismo”.

Apesar da frase ameaçadora, a Polícia Civil informou que a situação está controlada e que os pais dos alunos já estão informados e foram tranquilizados.

Ao Gazeta, a assessoria de comunicação do Colégio Santo André informou que divulgou uma nota às famílias de todos os alunos matriculados na unidade e que considera o ato um crime. As medidas legais foram tomadas e a instituição continua com as aulas normalmente.

A assessoria de comunicação do Colégio informou ainda, que todos estão bem. A unidade possui monitoramento de segurança 24h, com câmeras de segurança. Alunos, professores e profissionais seguem atuando em paz, sem medo de ameaças.

Para o cientista político e professor Araré Carvalho, a atitude dos adolescentes demonstra ser um ato de provocação e serve de exemplo para que escolas e as demais instituições, além do meio familiar, discutam sobre o assunto.

“Eu acho que no caso desses jovens, tudo tem muito a ver com provocação. O fato de não legalizar as ideias nazistas não impede que a gente discuta o que aconteceu, das atrocidades que foram feitas nessa ideologia totalizante, das pessoas que morreram e as condições que morreram. No caso desses jovens, acho que muitos deles desconhecem a história profundamente ou porque a história ficou muito tempo para trás, ou porque acham que as coisas ‘não foram bem assim’, ou quiseram mesmo provocar. Mas de fato esses momentos servem para a gente discutir sobre o que foi o nazismo, a gravidade desse momento histórico e tudo o que aconteceu.”, explica.

O professor também chama atenção para a influência gerada pela proibição do tema. 

“A influência nazista vem um pouco sobre a proibição do tema; tem muitos jovens que vem com a provocação. É bom lembrar que essas expressões totalitárias como foi o nazismo se formam dentro de um regime democrático, muitas vezes. O fato de o nazismo ser criminalizado é porque ele já teve oportunidade de se expressar, ele já foi poder e as ideologias nazistas se demonstraram totalitárias e aversa a expressão democrática. Nós temos muitas produções cinematográficas desse período para que esses jovens visualizem esse período, para que eles entendam que isso não é brincadeira. Como disse o filósofo Theodor Adorno: ‘É importante lembrar de Auschwitz para que Auschwitz nunca volte a acontecer’”, finaliza.

Confira, na íntegra, a nota enviada pela instituição aos pais dos alunos:

“Queridas famílias,

Desejamos que o convívio na comunidade escolar seja sempre baseado nos valores éticos e cristãos, dessa forma, nossas ações permanecem sempre voltadas à valorização da pessoa humana e à vida.

Por isso, queremos tranquilizá-los em relação a uma imagem, que está circulando via WhatsApp, de uma pichação no banheiro do Ensino Médio, referindo-se a uma ameaça de ataque.

Informamos que o nosso Colégio notificou os órgãos públicos, reforçou a segurança e está tomando todas as medidas cabíveis.

Sabemos que os últimos acontecimentos nos Estados Unidos causam temor e muitas vezes pânico, porém, o Colégio é absolutamente seguro e não admitirá que atitudes como essa fiquem impunes.”

(Atualizada às 17h45)

AS 10 MAIS LIDAS