Redes Sociais

Cidades

Invasor de empresa é baleado por segurança na madrugada desta quinta

Homem atingido por tiro foi socorrido e levado em estado grave ao hospital

Publicado há

em

Divulgação/Ilustrativa

Um vigia de uma empresa acertou um tiro contra um invasor que o ameaçou de morte na madrugada desta quinta-feira (11) no Jardim Primavera, em Rio Preto. De acordo com informações do boletim de ocorrência, o delegado considerou preliminarmente que o colaborador da transportadora invadida agiu em legítima defesa.

Na delegacia, policiais militares declararam que foram acionados por volta de 0h45. No endereço se encontraram com o segurança, de 51 anos. Ele declarou “que realizava ronda no pátio do estabelecimento, longe da guarita, quando ouviu um barulho vindo do portão e percebeu a presença de um ‘vulto’. Retornou para a guarita e viu a porta do banheiro fechada, fato que achou estranho. Ao abrir a porta, o suspeito estava sentado no chão do sanitário”.

Em seguida, “chegou a falar para que o homem saísse dali, mas ele se irritou e passou a gritar proferindo ameaças de morte. Diante da resistência do indivíduo, sacou uma arma e fez um disparo, que não acertou o suspeito. Após isso, conseguiu que o homem deixasse o local. Só que ele continuou fazendo ameaças de morte, dizendo que ‘ia pegá-lo’ e, em seguida, escalou o portão do local, voltou para dentro da empresa e partiu para cima dele. Diante da ameaça eminente, atirou novamente, desta vez acertando o tórax do lado direito do agressor, que caiu no chão”.

O segurança conta que viu ao lado do invasor o celular da empresa, que havia sido furtado da guarita. Ele acionou a polícia pelo fone 190. Com a chegada dos policiais, identificaram o criminoso com 34 anos. O segurança apresentou a arma utilizada e também as munições, que foram apreendidas. O celular que teria sido furtado também foi apreendido e apresentado na delegacia, sendo devolvido depois para o vigia. A perícia técnica realizou os trabalhos necessários.

Uma Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros foi acionada, procedeu os primeiros socorros no homem atingido pelo tiro e o levou para o Hospital de Base, onde permanece internado em estado grave. Tanto o segurança quanto o representante da empresa transportadora foram ouvidos pelo delegado. Foi expedida requisição para exame posterior de corpo de delito no IML para a vítima hospitalizada.

Segundo o delegado de plantão, o registro foi encaminhado para a delegacia correspondente a área dos fatos, onde será investigado. As imagens de segurança do local deverão ser apresentadas e, se possível, depoimentos do invasor, bem como de possíveis testemunhas que possam ter presenciado o ocorrido devem ser colhidos. Até porque o crime de furto do celular do estabelecimento não pôde ser imputado ao suspeito por falta de indícios suficientes, devendo também ser apurado.

Conforme mencionado, o segurança da empresa, a princípio, teve a conduta de legítima defesa confirmada pela autoridade policial, devido a agressão do suspeito. Ele foi orientado quanto ao prazo de seis meses que tem direito a processar o invasor.

AS MAIS LIDAS