Redes Sociais

Cidades

Assaltantes colocam a própria foto no WhatsApp de vítima e são reconhecidos

Filha da vítima mostrou a imagem, possibilitando reconhecimento dos envolvidos em roubo ocorrido em setembro

Publicado há

em

Divulgação/Ilustrativa

Um mototaxista registrou o roubo de celular ocorrido há um mês somente nesta terça-feira (3), em Rio Preto. O caso, de acordo com o registro policial, chama a atenção. Na data dos fatos, mais precisamente em uma via do Parque Residencial da Lealdade, a vítima foi abordada por uma mulher grávida, que a fez parar a moto para que dois criminosos lhe roubassem dinheiro e celular.

O homem de 39 anos não registrou a queixa na época “porque pensava que não conseguiria reconhecer os envolvidos”. Para surpresa dele, no entanto, os bandidos passaram a utilizar o WhatsApp que lhe pertencia e colocaram a própria foto no perfil.

Após ser alertado pela filha que havia uma imagem diferente no aplicativo de mensagens, reconheceu o casal, sendo a mulher grávida que lhe abordou e um dos assaltantes. Ele contou ao delegado “que o roubo ocorreu no dia 2 de setembro, no período noturno. Durante uma corrida, deixou uma passageira no referido bairro e quando retornava, sentido a BR-153 foi parado pela gestante, que gesticulava com as mãos pedindo ajuda. Ao parar e perguntar o que estava acontecendo, se passava mal, dois homens apareceram e lhe ameaçaram com uma faca. Eles levaram o telefone e dinheiro [valor não informado] que possuía”.

Antes de fugir, o trio retirou a chave da moto e atirou em um terreno baldio. Ele conseguiu mais tarde encontrar o objeto e sair do local. “Durante 30 dias não pensou em formalizar a queixa, já que não reconheceria ninguém. Porém, nesta terça, a filha dele verificou no celular dela que havia um perfil de um casal nos contatos do WhatsApp com um bebê utilizando o número que era dele. Assim que a filha mostrou a imagem, reconheceu a mulher que o abordou e o homem que estava com a faca”.

No boletim de ocorrência, a imagem de perfil dos envolvidos foi anexada e o caso será investigado pela Polícia Civil de Rio Preto.

AS MAIS LIDAS