Redes Sociais

Cidades

Motociclista de 20 anos sofre várias lesões após acidente em Rio Preto

Polícia vai apurar as causas, já que os envolvidos prestaram depoimentos divergentes

Publicado há

em

Divulgação/Ilustrativa

Um motociclista sofreu várias lesões pelo corpo após um acidente registrado neste sábado (13) em Rio Preto. De acordo com informações do boletim de ocorrência, os fatos aconteceram por volta de 17h, na estrada Vicinal para Talhado, na Vila São Jorge. Os envolvidos declararam versões divergentes sobre o que teria ocorrido e a polícia vai apurar as causas do acidente.

A vítima, um empresário de 20 anos, declarou na delegacia que “seguia pela rotatória existente entre a estrada Vicinal para Talhado/estrada Vicinal Alcides Augusto Ávila e a avenida Walter Colombo com uma moto CG 160 Start cinza, quando em dado momento precisou frear bruscamente na tentativa de evitar bater atrás de um Sandero cinza, que o fechou”.

Ao cair no solo, ele sofreu diversas lesões pelo corpo (não especificadas no registro policial) e, obviamente, teve a motocicleta danificada. Já a condutora do automóvel, uma auxiliar de cozinha de 41 anos, alegou que “trafegava pela BR-153, tendo saído na alça de acesso da avenida Walter Colombo e, ao chegar na rotatória existente na estrada Vicinal para Talhado há um sinal de ‘Pare’. Reduziu a velocidade e quando começava a contornar a rotatória, ao olhar pelo retrovisor viu um rapaz e moto deslizando pelo asfalto. Após contornar a rotatória, parou próximo ao rapaz com a intenção de prestar socorro”.

A mulher perguntou ao jovem o que havia acontecido, tendo ele respondido “que foi fechado por ela e que para evitar a colisão entre os dois precisou frear bruscamente. Pelo fato de estar chovendo bastante a motocicleta deslizou, provocando a queda”. Mesmo ferido, mesmo tendo insistido, “ele recusou atendimento médico, alegando estar bem”, segundo a rio-pretense.

Contudo, ao chegar em casa, o jovem começou a passar mal e foi levado para o Hospital Austa. Em depoimento, a mãe da vítima afirmou que “a motorista foi o tempo todo atenciosa, demonstrando grande solidariedade pelo estado de saúde do filho dela e em nenhum momento se recusou a prestar socorro”.

A vítima foi orientada quanto ao prazo de seis meses que tem direito a entrar com representação criminal (processo) contra a motorista. O delegado de plantão formalizou o registro e encaminhou a documentação ao distrito policial correspondente a área dos fatos, onde será alvo de investigação por parte da Polícia Civil. Nenhum dos veículos estava segurado.

AS MAIS LIDAS