Redes Sociais

Cidades

Doutorandas do Ibilce são selecionadas para evento na Itália

Ao todo, foram selecionados 21 pesquisadores de vários países, sendo nove brasileiros

Publicado há

em

Foto: Divulgação

Duas doutorandas do Programa de Pós-Graduação em Química da Unesp/Ibilce tiveram seus trabalhos selecionados com prêmio internacional intitulado “Travel Award IHSS – 2024”. As candidatas receberão recurso para custear sua participação no evento intitulado “22nd Meeting of the International Humic Substances Society – The role of NOM and HS in achieving Sustainable Development Goal” (22ª Reunião da Sociedade Internacional de Substâncias Húmicas – O papel da NOM e do HS no alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável), a ser realizado em Rimini, na Itália.

O evento acontecerá de 25 a 30 de agosto de 2024 e contará com a presença de pesquisadores de vários países, abordando diversos assuntos relacionados à sustentabilidade.

Ao todo, foram selecionados 21 pesquisadores de vários países, sendo 9 brasileiros, incluindo as doutorandas Gabriella Fernanda Miranda Rodrigues e Suelen Aparecida Mondek, do Programa de Pós-Graduação em Química da Unesp/Ibilce.

Os pesquisadores selecionados vão à conferência com os custos pagos pela organização do evento. Ao todo, foram selecionados 21 pesquisadores de vários países, sendo 9 brasileiros, incluindo as doutorandas Gabriella Fernanda Miranda Rodrigues e Suelen Aparecida Mondek, do Programa de Pós-Graduação em Química da Unesp/Ibilce.

Os trabalhos feitos pelas pesquisadoras estão relacionados com o reaproveitamento do bagaço de cana-de-açúcar e vinhaça, descartados de agroindústrias, que podem ser utilizados em fertilizantes orgânicos para o solo, sem prejudicar o meio ambiente.

A doutoranda Gabriella Fernanda Miranda Rodrigues irá apresentar seu trabalho intitulado “Avaliação do tempo de contato no sistema hydrochar-solos para cultivo de tomate”, que foi orientado pela Profª Drª Márcia Cristina Bisinoti, do Departamento de Química e Ciências Ambientais da Unesp/Ibilce. A pesquisa se baseou no uso do carvão hidrotérmico, que é um carvão produzido a partir do bagaço de cana-de-açúcar e de vinhaça, colocando-o em contato com o solo a fim de observar o crescimento do tomate. A partir dessa observação em dois solos diferentes, o argissolo e o latossolo, foi comprovado com essa pesquisa que esse carvão hidrotérmico é uma alternativa sustentável de fertilizante para o solo, sem prejudicar a natureza.

Questionada sobre como se sente representando a Unesp/Ibilce no evento, Gabriella destaca o peso dessa responsabilidade: “É uma responsabilidade muito grande, pois estamos representando não apenas a universidade, mas também o nosso país. Nós vamos apresentar nossos trabalhos em um palco, falando outro idioma e responder perguntas do público também.”

A doutoranda Suelen Aparecida Mondek apresentará o trabalho “Avaliação de Substância Tipo Húmica derivada de Bagaço de Cana-de-Açúcar e Vinhaça como Aditivo em Fertilizante Foliar no Cultivo de Tomate”, sob orientação do Prof. Dr. Altair Benedito Moreira, do Departamento de Química e Ciências Ambientais da Unesp/Ibilce. A pesquisa teve como objetivo avaliar o efeito das substâncias tipo húmicas extraídas do carvão hidrotérmico, obtido a partir da carbonização hidrotérmica do bagaço de cana-de-açúcar e vinhaça, quando utilizadas como aditivo em fertilizante foliar em experimentos de crescimento de plantas de tomate. Os resultados revelaram uma tendência de aumento no crescimento da planta, melhoria na eficiência fotossintética e incorporação de carbono na massa seca. Assim, a composição e o método empregados na pesquisa mostraram-se promissores para a produção agrícola sustentável e a economia circular.

Sobre a recepção da notícia da seleção das pesquisadoras, Suelen comenta: “Nós estamos muito felizes. Recebemos parabéns de todos no laboratório. Todo mundo está muito feliz, porque é um reconhecimento que nós tivemos da nossa dedicação e, para mim, esse prêmio está sendo um incentivo muito grande para continuarmos progredindo e buscando aprender cada vez mais.”

Além do evento ser uma oportunidade para os pesquisadores divulgarem o seu trabalho e conhecer outros profissionais da área, também haverá a premiação do Prêmio Malcolm, no qual os projetos selecionados do evento concorrem a uma publicação em uma revista científica.

AS MAIS LIDAS