Cultura

Festival Ginga celebra a capoeira de Angola e tradições da cultura popular

Festival realizado pela Escola Arcca, de São José do Rio Preto, por meio da Lei Aldir Blanc, tem atividades virtuais e presenciais

A Escola Arcca, de São José do Rio Preto, iniciou, ontem (26), a programação do Festival Ginga: Histórias que o corpo conta, que busca divulgar a Capoeira Angola e outras tradições da cultura popular por meio de atividades virtuais e presenciais, respeitando os protocolos sanitários de combate à covid-19. O evento busca evidenciar os aspectos ancestral, cultural, social e político da Capoeira Angola.

A programação, que seguirá até o dia 7 de março, pode ser acompanhada no site oficial do Festival Ginga (www.festivalginga.com) e nas redes sociais da Escola Arcca e do Centro Cultural Casa de Zion (Youtube e Facebook). No site do Festival Ginga, também é possível fazer inscrição para as oficinas e ainda há um espaço especial dedicado aos artesãos de São José do Rio Preto, que poderão cadastrar suas criações para a feira virtual que será realizada ao longo do evento, com apoio do aplicativo rio-pretense “Retire Já”, criado exclusivamente para profissionais do artesanato.

Quem abriu a programação foi a fotógrafa Priscila Beal, com a exposição virtual “Histórias que o corpo conta”. Nela, ela materializa por meio da imagem a ginga estabelecida pelos corpos nas rodas de Capoeira Angola do Centro Cultural Casa de Zion, mantido pela Escola Arcca. A exposição terá formato físico no último dia da programação, 7 de março, com visitação do público na Casa de Zion.

O primeiro dia de Festival Ginga ainda foi marcado pelo bate-papo virtual “'As vozes dos corpos que gingam”, com a participação de nomes que integram a programação do evento. O bate-papo foi mediado por Máyra Letícia e pelo contramestre Eddy Angoleiro, fundador da Escola Arcca, criada em 2008 com a proposta de preservar e difundir manifestações populares da cultura afro-brasileira, como a Capoeira Angola, Samba de Roda Rural, Jongo, Maculelê, Puxada de Rede, Dança Afro e Musicalidade.

O Festival Ginga envolve linguagens como a expressão corporal, a fotografia, a contação de história, o audiovisual, a dança e o artesanato, mas sem deixar de lado a formação cultural e a reflexão social. Entre os convidados está o brincante Fabiano Maranhão, atualmente integrante da Gerência de Estudos e Programas Sociais do Sesc São Paulo, que ministrará a oficina presencial “Joga corpo, ginga história”.

O projeto do Festival Ginga é realizado com recursos da Lei Aldir Blanc São José do Rio Preto, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal.

FESTIVAL GINGA: HISTÓRIAS QUE O CORPO CONTA | PROGRAMAÇÃO

27 de fevereiro - Sábado

9h - Oficina virtual 'Capoeira e arte-educação: corpo, mente e emoção'. Com Luama Socio. Plataforma Google Meet. Necessário inscrição prévia

12h - Apresentação artística: vídeo 'Encanto das Águas' (Arcca). Site do festival e Youtube do Centro Cultural Casa Zion

16h - Oficina presencial 'O corpo como expressão da subjetividade'. Com Pezzotti. No Centro Cultural Casa Zion. Necessário inscrição prévia

28 de fevereiro - Domingo

14h - Apresentação artística: vídeo da contação de história 'Livre como o vento' (Mandingueiras da Pracinha). Site do festival e Youtube do Centro Cultural Casa Zion

15h - Oficina presencial 'Inclusão e equidade: O que é? Como faz?'. Com Eliza Godoy. No Centro Cultural Casa Zion. Necessário inscrição prévia

1 de março - Segunda-feira

16h - Apresentação artística: vídeo 'Madame: o espelho do palco (Muriel e Jamerson Cunha). Site do festival e Youtube do Centro Cultural Casa Zion

19h30 - Oficina presencial 'Corpo escrito - Oficina de escrita e leitura para crianças' (Parte 1). Com Livia Grotto. No Centro Cultural Casa Zion. Necessário inscrição prévia

2 de março - Terça-feira

10h - Apresentação artística: vídeo 'Diálogos de corpos' (Eddy Angoleiro, Camila Signorini e Paula Castro). Site do festival e Youtube do Centro Cultural Casa Zion

3 de março - Quarta-feira

18h - Apresentação artística: vídeo 'Qual o peso para existir?' (Bruna Giorjiani). Site do festival e Youtube do Centro Cultural Casa Zion

4 de março - Quinta-feira

11h - Apresentação artística: vídeo 'Revoada' (Vanessa Cornélio). Site do festival e Youtube do Centro Cultural Casa Zion

19h30 - Oficina presencial 'Corpo escrito - Oficina de escrita e leitura para crianças' (Parte 2). Com Livia Grotto. No Centro Cultural Casa Zion. Necessário inscrição prévia

5 de março - Sexta-feira

20h - Apresentação artística: vídeo 'Sagrada arte do corpo' (Olivia Justo).  Site do festival e Youtube do Centro Cultural Casa Zion

6 de março - Sábado

9h - Oficina presencial 'Joga corpo, ginga história' (Parte 1). Com Fabiano Maranhão.  No Centro Cultural Casa Zion. Necessário inscrição prévia

15h - Oficina presencial 'Joga corpo, ginga história' (Parte 2). Com Fabiano Maranhão.  No Centro Cultural Casa Zion. Necessário inscrição prévia

18h - Apresentação artística: vídeo 'Retalhos de histórias e lutas' ([email protected] pela Democracia). Site do festival e Youtube do Centro Cultural Casa Zion

7 de março - Domingo

9h - Exposição fotográfica física 'Histórias que o corpo conta', da fotógrafa Priscila Beal. No Centro Cultural Casa Zion

Por Da Redação em 27/02/2021 14:47