Redes Sociais

Cultura

Em Rio Preto, Guilherme Arantes fará show na final do Festival Nacional de MPB

Apresentação gratuita será no encerramento do festival, dia 19 de novembro, no Teatro Humberto Sinibaldi Neto

Publicado há

em

Foto: Pedro Matallo/Divulgação

A 16ª edição do FEM Rio Preto 2023 – Festival Nacional de MPB ‘Vinícius Nucci Cucolicchio’ – terá dois shows convidados.  Realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, o evento terá, além da mostra competitiva de canções de Rio Preto e de todo Brasil, o show do Grupo Realejo, no dia 18 de novembro, e de Guilherme Arantes no dia 19.

O FEM acontece de 17 a 19 de novembro, no Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto, com entrada gratuita. As apresentações têm início às 19h30 nos dias 17 e 18 e às 18h, no dia 19/11.

Grupo Realejo

O Grupo Realejo, de Rio Preto, levará para o palco os sinais da trajetória musical, carimbada pela influência da música mineira, da valsa e das canções do universo paulista caipira. No FEM levará ao palco o show Realejo Festa 4.2.

Formado no início da década de oitenta por estudantes de Engenharia e Biologia, o Realejo prioriza as canções autorais, no entanto, o amplo universo da música popular brasileira tem sido o norte na idealização de shows, na produção dos álbuns e nas dezenas de participações em festivais de música pelo país.

O grupo tem direção musical e teclado de Luiz Jardim; voz e violões, Lory Ferreira e Benedito Maria; voz e percussão, César Meneghette e vocal, flauta e sax soprano de Paulo Casale.

Guilherme Arantes

Com 27 álbuns lançados em quase cinco décadas de carreira, Guilherme Arantes tem músicas gravadas por Roberto Carlos, Maria Bethânia, Elis Regina, Caetano Veloso, Gal Costa, entre outros. Em sua coleção de sucessos estão “Planeta Água”, “Amanhã”, “Cheia de Charme”, “Meu Mundo e Nada Mais”, “Lindo Balão Azul”, “Deixa Chover”, “Lance Legal”, “Pedacinhos” e “Brincar de Viver”.

Desde 2019, Guilherme divide sua moradia entre Salvador, no Brasil, e Ávila, cidade medieval da Espanha. Durante a pandemia, em sua estadia em Ávila, estudou orquestração e música barroca, que influenciou o seu  álbum mais recente ,“A Desordem dos Templários” (2021), com forte tempero progressivo.  No show, algumas das canções do novo álbum se incorporam aos grandes sucessos do artista em uma grande celebração aos seus mais de 47 anos de carreira e 70 anos de vida.

AS MAIS LIDAS