Redes Sociais

Cultura

Circuito de Artes do Sesc passará por seis municípios da região

Na região, Circuito chega a Nipoã, Votuporanga, Mirassol, Tanabi, Fernandópolis e Jales

Publicado há

em

Guilherme Sacon

O Circuito Sesc de Artes 2024 traz uma extensa programação nas áreas de música, teatro, dança, circo, cinema, literatura, artes visuais e tecnologias. Entre os dias 20 de abril e 26 de maio, as ruas, praças e parques de 122 municípios paulistas vão receber 75 trabalhos artísticos, entre espetáculos, intervenções, mediações de leitura, oficinas e vivências. Em todo o estado, são mais de 760 atividades em cerca de 480 horas de programação. Tudo gratuito, com acesso livre e para todos os públicos.

A programação é o resultado do olhar atento de uma curadoria coletiva formada pelas equipes das 22 unidades da rede e o Sesc Rio Preto organiza o Circuito em seis municípios da região. Em abril, Nipoã (dia 20), Votuporanga (21), Mirassol (27) e Tanabi (28), e, em maio, Fernandópolis e Jales (dias 25 e 26). Nessas cidades, a programação acontece das 16h às 20h. O Circuito é realizado pelo Sesc São Paulo em parceria com prefeituras municipais e sindicatos do comércio de bens, serviços e turismo locais.

Para Luiz Deoclecio Massaro Galina, diretor regional do Sesc São Paulo, “O Circuito Sesc de Artes é uma iniciativa que proporciona novas trajetórias e roteiros, conectando residentes e visitantes e promovendo a sensação de pertencimento nas praças e espaços públicos”. Galina reflete que “essa experiência é essencial para fortalecer laços comunitários, visando democratizar o acesso cultural para mais pessoas”.

A escolha das atrações partiu de premissas como a diversidade, pluralidade e a representatividade. A cultura popular também está muito presente. Outro aspecto importante é a valorização da produção local. Em 2024, cerca de metade das atrações são oriundas do interior e litoral.

O Circuito é bem abrangente e acontece em diferentes territórios. O intuito é estender o alcance da ação do Sesc para além das cidades que contam com unidades da instituição. O projeto tem como marca a pluralidade e por promover a circulação das atividades artísticas em todo o estado de São Paulo. Ao mobilizar trabalhos de diversas áreas e envolver centenas de profissionais, o projeto busca movimentar a cultura e economia criativa local.

Curso para gestores culturais

Nesta edição, o Circuito também promove uma atividade para além dos espaços públicos. É o curso on-line Mapeamentos culturais: teorias, ferramentas e aplicações, com a doutoranda em Ciências Humanas e Sociais pela UFABC e mestra em Estudos Culturais pela EACH-USP, Ana Paula do Val. Serão quatro encontros semanais às terças-feiras, entre maio e junho, para compartilhar metodologias e ferramentas para compreensão e intervenção em contextos socioculturais, a partir de reflexões e exercícios práticos.

Confira as datas e os locais:

20 de abril, sábado, das 16h às 20h

Nipoã, na Praça da Matriz

21 de abril, domingo, das 16h às 20h

Votuporanga, no Parque da Cultura

27 de abril, sábado¸ das 16h às 20h

Mirassol, na Praça Doutor Anísio José Moreira

28 de abril, domingo, das 16h às 20h

Tanabi, na Praça João de Melo Macedo

25 de maio, sábado, das 16h às 20h

Fernandópolis, na Praça da Matriz Joaquim Antônio Pereira

26 de maio, domingo, das 16h às 20h

Jales, na Praça Euphly Jalles

Confira a programação:

Música

Com sonoridades nordestinas, funk, house, vogue, rap e o pop rock nacional nas vozes de artistas como Marina Lima, Fernanda Abreu, Rita Lee e Angela Ro Ro, a DJ Rupin comanda as pickpus entre uma atração e outra com sets ecléticos para manter a animação do público. Artista e produtora cultural, Rupin atua na região de Araçatuba em festas e festivais como Embrazza, Technologica, Bacante e Howz6.

Dança

Duas bicicletas performáticas com equipamento de som portátil e carregadas de adereços, figurinos e materiais de cena anunciam a chegada do elenco e convidam o público para o início do espetáculo O diário de duas bicicletas. Inspirada na cultura popular brasileira, a apresentação conduzida por Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira reúne coreografias de frevo, maracatu, samba, coco, xote, afoxé e caboclinho, entre outras manifestações, e procura diminuir a distância entre os espectadores e a dança.

Circo

Ao som de música ao vivo, a Cia. K de circo revive as travessuras de criança e as brincadeiras da infância com esquetes lúdicas que utilizam diferentes técnicas de circo. Numa viagem ao mundo da imaginação, a cena é povoada de pernas-de-pau, monociclos, acrobatas, malabaristas e pipas coloridas

Cinema

Destaque para a vivência de Cinema em realidade virtual com o curta-metragem A linha (2019), dirigido pelo brasileiro Ricardo Laganaro e premiado com um Leão no Festival Internacional de Cinema de Veneza, na Itália. Um equipamento especial permite ao público interagir com a maquete utilizada como cenário do filme, numa experiência participativa com realidade virtual. Na São Paulo dos anos 1940, Pedro e Rosa parecem perfeitos um para o outro. Para viver sua história de amor, porém, precisam superar importantes barreiras, já que estão presos a engrenagens que os levam a caminhos opostos.

Literatura

Surgida em 2019 na cidade de Lins, a Cia. Koi desenvolve projetos que unem teatro e contação de histórias com o kamishibai, arte japonesa de narrar usando ilustrações. Para a mediação de leitura Entre folhas, ramos e histórias, foram escolhidos livros que conectam as pessoas aos elementos da natureza, que atuam como porta-vozes de troca e sabedoria e incentivam o respeito entre as diversas formas de vida.

Artes visuais e Tecnologias

Criado em Catanduva pela educadora Larissa Cunha e o arquiteto e marceneiro Alexandre Takashi Fujita, o coletivo Manufaturarte promove a oficina Robozinhos de madeira, que usa kits pré-fabricados para montar robozinhos articulados. A customização de cada boneco fica por conta do inventor: vale colocar três olhos, criar chapéus, pintar um coração… tudo em nome da criatividade.

Música

Fundada em 2005 na cidade de Cabo de Santo Agostinho, litoral de Pernambuco, a Orquestra Frevo Capibaribe recria o clima dos bailes e dos tradicionais desfiles de blocos do carnaval de Recife e Olinda. Herdeiro das marchas, maxixes e dobrados, com influência das bandas militares e das quadrilhas de origem europeia, o frevo pernambucano é uma expressão artística popular e centenária que arrebata o público por onde passa.

E entre uma atração e outra, quem comanda as pickups para manter a animação do público é a DJ Vivian Marques. Seus sets combinam diferentes vertentes da música negra nacional e estrangeira, entre ritmos como hip-hop clássico e underground, R&B, pop, soul e funk. Em dezesseis anos de carreira, Vivian acumula apresentações em mais de trinta casas noturnas nos estados de São Paulo, Paraná e Goiás, além de participações em shows, festas, festivais, desfiles e peças de teatro.

Teatro

Inspirada no conto “Quando as cores foram proibidas”, da alemã Monika Feth, a Companhia Barco apresenta O país que perdeu as cores. A peça aborda temas como democracia, coletividade e respeito ao contar a história de um país surpreendido pela ascensão de um governo autoritário ao poder. Representado por uma trupe de artistas em êxodo por diferentes lugares com personagens como o Pintor, a Padeira, o Florista e o Cachorro, o povo precisa, então, definir que destino deseja dar para a sua própria história.

Cinema

Orientado pelos monitores da produtora Cine 16, o público da vivência Imagens em movimento: oficina com brinquedos ópticos pode explorar os primeiros dispositivos de desenho animado da história, surgidos há duzentos anos, que serviram como fonte de inspiração para o cinema. Depois, aprende a fazer suas próprias animações. Além de conhecer os brinquedos óticos, quem fizer a atividade recebe um GIF animado gerado a partir de seus trabalhos.

Literatura

No espaço ambientado em homenagem ao poeta mato-grossense Manoel de Barros (1916-2014), o público decora um vasinho de barro e plantam nele uma poesia impressa em papel semente para espalhar literatura e estimular o contato com a natureza. A vivência Plantando poesia será ministrada pelo grupo Lugar de Ser Qualquer.

Artes visuais e Tecnologias

A artista Eliete Della Violla ensina como criar seus próprios impressos a partir de matérias-primas como folhas, galhos, frutos secos e outros objetos na oficina Gráfica aberta: impressos caseiros. A atividade serve para lembrar que muito antes das impressoras, a reprodução gráfica só era possível graças a processos manuais e mecânicos, como os mimeógrafos a álcool, os decalques com papel carbono, as prensas caseiras e o hectógrafo, uma copiadora do século 19 que funcionava à base de gelatina.

Central de Relacionamento Itinerante

No dia em que o Circuito acontece, em cada cidade também haverá um ponto de atendimento aos trabalhadores das empresas do comércio de bens, serviços e turismo e seus familiares para a emissão imediata e gratuita da Credencial Plena, seja pela primeira vez ou pedido de renovação. A relação completa de documentos necessários está disponível em sescsp.org.br/credencialplena.

Serviço

Circuito Sesc de Artes 2024

De 20 de abril a 26 de maio, sábados e domingos.

Programação completa no site clicando aqui. Em caso de chuva, verifique o novo local.

 

 

 

 

AS MAIS LIDAS