Economia

Loja de artesanato brasileiro expande seu negócio online e abre espaço físico em Rio Preto

Retrobel abre suas portas no bairro Redentora trazendo artesanato de vários estados brasileiros e com histórias únicas em cada um

O que começou como uma fonte de inspiração de decoração no meio online, agora é também uma realidade física em São José do Rio Preto. Com uma curadoria de produtos que a cidade nunca viu antes, o Retrobel abre suas portas para a sociedade rio-pretense trazendo artesanato de vários estados brasileiros e com histórias únicas em cada um.

A exclusividade é uma das principais características do artesanato. No Retrobel, há peças parecidas, mas nunca idênticas. A curadoria de produtos da loja inclui uma variedade enorme de produtos, entre eles, luminárias, almofadas, tapetes, cestaria, composições de parede, flores secas e, agora, mobiliário.

O Capim dos Pampas foi a porta de entrada para o surgimento e crescimento do negócio. Conhecido mundialmente, o capim dos pampas chegou ao país pelas mãos do Retrobel de forma pioneira e, atualmente, a loja ainda possui o maior catálogo de modelos de Capim dos Pampas do Brasil.

“Até março eu fazia tudo sozinha. Aí começou a apertar, eu mudei de casa, a loja ainda assim ficou na minha casa e cresceu muito. Tivemos que procurar um espaço físico tanto para operação do online quanto também para abrir a loja física, que era um sonho”, conta Isabela Pardo. 

A equipe de colaboradores aumentou e foi preciso expandir o espaço, já que o negócio online funcionava na casa da Isabela. A estratégia de inaugurar loja física não foi aleatória, muito pelo contrário. A ideia é transformar a experiência do consumidor e tornar o que já fazia sucesso no online ser palpável para as pessoas.

 “É uma pluma totalmente ligada a nossa história de buscar referência e postar no Instagram. O capim dos pampas, que já eram tendência em todo o mundo, estavam rolando muito no Pinterest, nas referências nos Instagram de perfis de decoração que eram de fora e, assim,  trouxemos pra cá. A loja começou com o primeiro produto sendo o capim dos pampas”.

O sucesso se reflete em números. Em dezembro do ano passado, foram feitas três vendas. Neste mês, até o momento, foram mais de duzentas. “É um crescimento gigantesco de um ano para o outro.” O isolamento social fez com que as pessoas passassem mais tempo em casa e começassem a voltar o olhar para esse lugar tão especial, buscando conforto e beleza.

“Foi aí que a nossa venda aumentou, mesmo durante a pandemia crescemos mais. Vivemos um momento de todo mundo repensar várias coisas. As pessoas estão buscando um produto significativo e nosso modelo de negócio entra muito nisso. Além de ser uma decoração pra casa, um produto 100% nacional, que dá credibilidade, gera renda e valoriza o artesanato brasileiro de uma forma muito significativa”, afirma Isabela.

Atualmente, o Retrobel trabalha com produtos exclusivamente brasileiros e artesanais, uma escolha feita no começo da empresa e que se mantêm até hoje como seu principal pilar. Valorizar o artesanato nacional e dar visibilidade para esse trabalho surgiu como uma forma de trazer a brasilidade para a decoração Boho, com a intenção também de criar um novo conceito de decoração, 100% inspirado em nossa cultura e na nossa disponibilidade de matéria prima local.

 “Encaramos também o processo de criação de um produto como um movimento que valoriza o tempo, a dedicação, a criatividade e o capricho do artista sobre cada peça. É sobre reconhecer que nenhuma peça será igual à outra e que, portanto, elas são verdadeiras joias, pensadas e criadas por verdadeiros artistas.”

A seleção de produtos não se dá apenas no âmbito da decoração, ou seja, tão importante quanto a beleza de cada peça é também a origem e o tipo de matéria prima de cada uma. Hoje, o Retrobel conta com uma rede de artesanato que alcança 15 grupos de artesãos e artesãs espalhados pelo Brasil todo. Geralmente, são famílias que carregam o artesanato há gerações e que constroem sua independência financeira e pessoal a partir deste trabalho. Ao todo, são 400 famílias artesãs que somam 2000 pessoas, aproximadamente, que estão envolvidas em cada um dos processos.

“Por causa desse processo 100% manual, os produtos não são produzidos em larga escala e nem com moldes, o que aumenta muito o tempo de produção e de dedicação do artesão à cada peça.”

 Além disso, outro fator que torna essas peças artesanais ainda mais relevantes em tempo de produção é a disponibilidade da palha para colheita. Alguns grupos de artesãos produzem o artesanato em palha somente em alguns meses do ano e no restante dos meses dedicam-se à outra atividade local, o que torna esse artesanato ainda mais exclusivo.

“Nos mantemos firmes em nossa jornada de buscar cada vez mais artesãos e artesãs brasileiros que dão vozes ao artesanato nacional. E, além disso, nossa maior exigência é que tanto a matéria prima quanto cada artesão faça parte de uma rede sustentável e de comércio solidário. O alicerce da empresa Retrobel está nesse "detalhe" e ele tem sido o fio condutor de todos os processos que acontecem desde a colheita da palha até à casa dos nossos clientes”, afirma com propriedade Isabela.

Em todos os grupos de nossa rede de artesanato, a palha usada para os trançados é plantada, colhida e beneficiada manualmente. As plantas utilizadas nesses processos são todas retiradas de forma sustentável da natureza, mesmo porque, cada grupo de artesão valoriza sua flora local e reconhece a necessidade de sua preservação e extração consciente para suas próprias atividades.

“As plantas utilizadas nesses processos são todas retiradas de forma sustentável da natureza, mesmo porque, cada grupo de artesão valoriza sua flora local e reconhece a necessidade de sua preservação e extração consciente para suas próprias atividades”.

Além dos produtos exclusivos, quando o consumidor adquire um produto artesanal, a peça tem assinatura e cada artesã recebe pela venda da produção. A seleção dos artesãos que produzem os produtos vendidos pela Retrobel ocorreu através uma curadoria extensa.

“Selecionamos os artesãos que se encaixem com o nosso propósito. A maioria deles são associações e só adquirimos de fornecedores que emitam nota fiscal. Assim garantimos que os recursos para a fabricação são feitos de forma sustentável e também visando manter uma economia solidária nas comunidades por conta das da vulnerabilidade que muitos vivem”, conclui.

SERVIÇO

Retrobel

Rua Rio Preto, 3254, Redentora

Telefone: (17) 99143-3463

Site: www.retrobel.com.br

Por Da Redação em 18/12/2020 00:35