Redes Sociais

Economia

Dia dos Namorados deve aumentar as vendas de roupas e calçados no comércio em SP

Segundo a FecomercioSP, a expecativa é de um crescimento de 18,5% em relação ao mesmo período do ano passado

Publicado há

em

A compra de presentes para o Dia dos Namorados deve ajudar a aumentar as vendas, em junho, do segmento paulista de lojas de vestuário, tecidos e calçados.

A projeção da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é de um crescimento expressivo de 18,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Contudo, as vendas do conjunto de atividades tradicionalmente mais sensíveis à ocasião devem apontar queda de 2,3% no comparativo anual, evidenciando um Dia dos Namorados mais tímido em 2022.

Geralmente, as comemorações noturnas em restaurantes, bares e hotéis/motéis são mais beneficiadas pelo Dia dos Namorados do que o consumo de presentes.

A exceção é o setor de vestuário, hoje em evidência graças ao frio antecipado em São Paulo. O clima, aliás, deve contribuir para a alta, já que os preços médios das roupas de inverno são maiores do que a média geral destes produtos. Além disso, a variedade de opções e preços para presentes alcançam praticamente todos os perfis de renda.

Em menor escala, os segmentos que também devem lucrar com o Dia dos Namorados serão as farmácias e perfumarias (0,8%) e os supermercados (0,5%), já que muitos casais optam por comemorar a ocasião com um jantar caseiro especial.

As vendas de eletrodomésticos e eletrônicos devem ter queda de 6,8%. As floriculturas também costumam ter desempenho positivo na data. Contudo, o impacto é menor no conjunto do faturamento do varejo.

AS 10 MAIS LIDAS