Esportes

‘Tênis precisa de investimento na base’, afirma Thiago Alves

Rio-pretense e treinador fala sobre carreira e desafios no comando do centro de treinamento Alves & Oliveira Tennis, no Harmonia Tênis Clube

O rio-pretense Thiago Alves foi um dos melhores tenistas da sua geração, ex-número 1 do Brasil e 88 do mundo e há três anos comanda o centro de treinamento Alves & Oliveira Tennis, no Harmonia Tênis Clube, em Rio Preto. Agora, como treinador, Alves vê que o tênis de base precisa de mais investimento. Na sua época, por exemplo, existiam mais torneios na região e mais tenistas despontavam no circuito, seja amador ou profissional. “Regiões de Araçatuba e Bauru, por exemplo, que sempre revelavam tenistas, hoje não possuem mais essa vocação”.

Em sua época de jogador, há alguns anos, o Brasil tinha mais jogadores entre os 100 melhores do mundo. Hoje, o país só tem Thiago Monteiro e João Menezes entre os 200 do mundo, no ranking da ATP.  O que está acontecendo com o nosso tênis nacional? “Com certeza falta estímulo, investimento, e isso é na base. Não temos tantas crianças jogando hoje no Brasil.  No nosso treinamento kids, na Alves & Oliveira Kids, temos muitas crianças jogando, mas ainda pode crescer.  Os pais precisam incentivar cada vez mais os filhos a praticarem esporte. O esporte é uma ferramenta educacional muito forte. Hoje, muitas crianças ficam dependentes de celular, internet, joguinhos online. O tênis, o esporte, é incrível para educar. Precisamos focar nisso. A Escola Guga tem feito um trabalho bacana, inserindo crianças no esporte, de 5 até 10 anos. A saída é essa. Mais crianças jogarem tênis. Ai, através de milhares de jogadores, saem alguns que virarão profissionais.  Os torneios hoje estão mais fracos e ainda existem muito poucos.  Na minha época de garoto, as chaves eram maiores, tinha mais jogadores. Hoje é até difícil de fazer chave. Rio Preto ainda se mantém, mas cidades que antes revelavam atletas, como Bauru, Araçatuba, hoje não revelam mais.  A base precisa voltar, mais torneios, mais investimentos e jogadores”.

Resultados expressivos

Mas, enquanto outras cidades não vivem um bom momento no esporte, Rio Preto desponta. O ano da Alves & Oliveira Tennis é comemorado por Alves. “Foi muito positivo para nós. Nosso centro de treinamento tem se firmado cada vez mais no cenário nacional, como um dos melhores do país. Tivemos resultados expressivos com o Natan (Rodrigues) e o Mateus (Alves) e os garotos se destacando nos 14 e 16 anos.  Com certeza 2020 promete muito”, afirmou o treinador que recentemente participou de um curso da CBT, em Florianópolis, com outros vários treinadores do país. “A troca de informações é muito importante. O conhecimento fortalece o tênis brasileiro. Precisa ser feito mais vezes e os atletas se beneficiam muito disso”.

Alves ressalta também a importância da transição do juvenil para o profissional. Muitos destaques juvenis acabam se perdendo no meio do caminho e não vingando no circuito da ATP.

“A transição é bem difícil. É o que estão passando agora o Mateus e o Natan.  É o momento mais difícil na formação do atleta. Quando sai do juvenil é choque de realidade pura. Porque, no juvenil eles têm carreira boa, promissora e ai os três, quatro anos depois são anos importantes e difíceis.  Infelizmente perdemos muitos jogadores nessa fase. Precisa ser moldado. Fazer com que os jogadores não confundam a carreira de juvenil com profissional. Trabalhar o psicológico, o lado familiar.  Todos entenderem que é um processo a longo prazo. Acreditando, na melhora e na evolução, sempre. Hoje, estamos trabalhando os dois atletas junto com o Time Guga para fazer essa transição da melhor maneira possível. Vai ser um ano muito importante para os dois. O Natan disputa o seu último ano de juvenil e já vai começar a jogar alguns torneios profissionais para pontuar na ATP. E o Mateus já encara seu primeiro ano de profissional”.

Crédito: Divulgação

 

 

 

 

 

 

 

Por Henrique Fernandes em 02/01/2020 23:59