Redes Sociais

Estradas

Pedágios vão ficar mais caros a partir de sábado, dia 1º

Motorista que viajar para Capital vai encontrar tarifas reajustadas nas praças de pedágios

Publicado há

em

O preço dos pedágios vai subir nas rodovias de São Paulo, a partir deste sábado, dia 1º. Com isso, a viagem de ida e volta para a Capital – com saída de Rio Preto – vai ficar R$ 2,60 mais cara, ou seja, antes os motoristas pagam R$ 169,60 e agora terão de desembolsar R$ 172,20, o que representa um ajuste de 1,57%.De acordo com a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), na maioria das praças o aumento no valor do pedágio será de até R$ 0,20. Os índices autorizados são os menores em 11 anos – em 12 concessionárias será aplicado o IGP-M acumulado nos últimos 12 meses: 1,57%. Nas demais, oito concessionárias, o índice contratual é o IPC-A, que registrou 3,59% no período.Mesmo sendo o menor reajuste da última década, motoristas afirmam que no final do mês os gastos pesam no bolso.

“Pode até parecer um aumento insignificante para quem viaja uma vez ou outra, mas para que está na estrada diariamente é só colocar na ponta do lápis. Aumento de R$ 0,20 nos pedágios, um reajuste de R$0,30 no litro do combustível e no final do mês você percebe que os centavos atingiram valores acima de R$100. Sem contar a manutenção do veículo”, afirma o autônomo Benedito Aparecido de Souza, de 53 anos.Na rodovia Washington Luís (SP-310), que corta a região de Rio Preto,está os três pedágios mais caros do Estado de São Paulo. Nos pouco mais de 120 quilômetros que separa os municípios de Catiguá e Araraquara o motorista tem de desembolsarR$ 41,20 em pedágios.

Segundo a Artesp, entre 2011 e 2016, a receita dos pedágios viabilizou R$ 36,6 bilhões em investimentos em obras, manutenção e operação dos 6,9 mil quilômetros de rodovias paulistas sob concessão. Isso melhorou o tráfego e a segurança do usuário e, como resultado, 19 das 20 melhores rodovias do Brasil são do Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo, segundo levantamento técnico da Confederação Nacional do Transporte (CNT).Além disso, considerando o mesmo período, R$ 2,5 bilhões foram repassados para 264 prefeituras paulistas a título do ISS-QN, imposto municipal que incide sobre a tarifa de pedágio. Essa verba pode ser utilizada livremente pelas administrações municipais para investimentos nas cidades, de acordo com as principais demandas.

Continue lendo

AS 10 MAIS LIDAS