Redes Sociais

Geral

Taxistas e auxiliares aderiram ao Uber, aponta denúncia

Denúncia anônima provocou reação do presidente do Sindicato dos Taxistas de Rio Preto

Publicado há

em

Para tentar diminuir o prejuízo causado pela atuação dos motoristas cadastrados no aplicativo Uber, taxistas e motoristas auxiliares do serviço de taxi de Rio Preto estariam aderindo clandestinamente ao novo modelo de transportes.

Segundo denúncia recebida pelo presidente do sindicato dos taxistas da cidade, André Luis Cabelo, e divulgada na manhã desta quarta-feira, dia 31, pela rádio CBN Grandes Lagos, taxistas e auxiliares estariam cadastrando os veículos particulares no sistema do Uber, mas atendendo os passageiros com o Taxi cadastrado junto à Prefeitura – que tem placa vermelha e a identificação no teto e na lateral.

Segundo ele, quando o passageiro questiona sobre o fato de o veículo que chega ao local de embarque não ser o mesmo informado pelo aplicativo, os motoristas afirmam que o carro cadastrado está no conserto e que o taxi está sendo usado provisoriamente.

Segundo a denúncia, esse tipo de corrida estaria sendo feita principalmente pelos motoristas auxiliares, também chamados de “canelas” – contratados para atuar com o carro dos taxistas permissionários em horários alternativos ao feito pelo titular do veículo.

Na semana passada, Tribunal de Justiça derrubou, por meio de liminar, a lei municipal que previa multa de R$ 2,7 mil para motoristas flagrados prestando serviço por meio de aplicativos para smartphones – como o Uber.

Na ocasião, o secretário de Trânsito e Segurança, Marcos Apóstolo, afirmou que a secretaria não puniria mais os motoristas do Uber, mas que os flagrantes continuariam sendo feitos pela Polícia Militar e pela guarda Civil Municipal, uma vez que a prática caracterizaria transporte privado feito de forma clandestina, podendo resultar na apreensão do veículo e em ação judicial contra os motoristas.

Cabelo afirmou à CBN que vai procurar o secretário de Trânsito para solicitar atenção da fiscalização no sentido de coibir esse tipo de atuação clandestina de taxistas e canelas.

Continue lendo

AS 10 MAIS LIDAS