Nacional

Ex-presidente da Anvisa chama Bolsonaro de “idiota” por não comprar vacina

"O nosso idiota aqui não acredita e não comprou vacina, então, nós estamos lá nos dez por cento, e no início de um processo de aceleração da doença novamente", disse

O fundador e ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Gonzalo Vecina Neto, postou um vídeo no Instagram chamando o presidente Jair Bolsonaro de idiota. No vídeo, Vecina fala sobre a vacinação no Brasil e culpa o governo federal pelo baixo índice de imunização contra a Covid-19 no país.

 “Os americanos têm metade de sua população vacinada. Apesar de terem tido um presidente totalmente negacionista, como aquele idiota do Trump, tiveram acesso à vacina. Ele não acreditava na vacina, mas, comprou. O nosso idiota aqui não acredita e não comprou vacina, então, nós estamos lá nos dez por cento, e no início de um processo de aceleração da doença novamente. Seja bem-vinda terceira onda. Está começando a terceira onda”, disse Vecina.

Ele ainda falou da nova cepa indiana: “e ainda sem importância de uma variante nova. Todos os dias estamos aí, chega por aqui, outro chega por aí, um provável, possível portador da variante indiana. Já temos casos comprovados em São Luís (MA), temos um provável caso no Ceará e agora um caso que desceu em Guarulhos, tinha o teste feito há três dias negativo, mas estava com sintomas. Foi realizado teste novamente aqui, mas eu acho que a Vigilância Sanitária errou, porque liberou esse paciente para pegar outro voo para o Rio de Janeiro. Está lá no Rio e o resultado veio. É um portador que veio da Índia, com provavelmente a variante indiana que está circulando no Brasil. O fato é que não estamos fazendo a lição de casa”.

Sobre as vacinas, Vecina disse que “chegou uma quantidade irrisória de vacina comprada pelo Pazuello, da Pfizer, Mas o grosso dessas vacinas só vão chegar no segundo semestre deste ano. Mais as doses da Janssen e mais as doses que estão faltando do Covax Facility, que virão da Índia. Mas ainda neste momento é difícil, pois eles estão lutando contra a doença no seu próprio país”, afirmou Vecina.

 

Por Da Redação em 31/05/2021 11:35