Redes Sociais

Política

Câmara rejeita prorrogação da CPI do Auxílio-Atleta

Vereadores rejeitam requerimento que pedia a prorrogação dos trabalhos e, com isso, relatório final terá de ser entregue até o próximo dia 23

Publicado há

em

A Câmara de Rio Preto arquivou, na noite de terça-feira, dia 13, requerimento que pedia a prorrogação por 90 dias do prazo para a conclusão da CPI do Auxílio-Atleta. A comissão foi aberta em março para investigar denúncias de fraudes na distribuição do benefício e agora terá de ser concluída até dia 23 de junho. Foram nove votos contrários à prorrogação, seis a favor e uma abstenção. 

Com a galeria do plenário lotada de cidadãos favoráveis e contrários a prorrogação das investigações, um embate se formou com manifestações de ambos os lados dando origem a um bate-boca que contaminou o plenário e terminou com o presidente da Casa, Jean Charles (PMDB), exigindo da Guarda Municipal a retirada de um manifestante do local. 

O grupo que votou contra a prorrogação da CPI é, em sua maioria, formado por aliados do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB). Neste grupo estão os vereadores Francisco Júnior (DEM) e José Carlos Marinho (PSB), ambos ex-secretários de Esportes que ocuparam o cargo durante a gestão passada. A dupla também é alvo da investigação. “O que essa CPI está fazendo é um show para se exibir no plenário. Não conseguiram nada contra mim até agora e querem prorrogação de uma coisa que não chegou a lugar nenhum”, disse Marinho.

Marco Rillo (PT) e Renato Pupo (PSD) – presidente e relator da CPI, respectivamente – rebateram as justificativas do grupo adversário, alegando que há ainda documentos a serem analisados. “São 50 caixas de documentos. Cada vez que surge um nome novo denunciado, o trabalho de revisão desses documentos recomeça. É preciso tempo para analisar isso. Estão tentando mesmo é abafar o caso”, disse Rillo.

A CPI

Criada em março, a CPI do Auxílio-Atleta já ouviu mais de 20 pessoas entre atletas e treinadores atendidos pelo benefício. As suspeitas são de que pessoas que não praticam atividades esportivas receberam o benefício e de que o auxílio tenha sido usado para compra de votos. Segundo os membros da comissão, já foram encontrados indícios de atletas que receberam sem atuar, informação que deve constar no relatório final. Pupo afirmou que a comissão vai encaminhar o relatório final ao Ministério Público com detalhamento dos indícios de crimes já encontrados. Ele adiantou que a CPI também pedirá a criação de uma comissão processante que poderá, entre outras coisas, propor a cassação dos mandatos de Júnior e Marinho. As denúncias de irregularidade no benefício também estão sendo investigadas pelo MP e pela Delegacia Seccional de Rio Preto.

AS 10 MAIS LIDAS