GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Política

Projeto permite embarque de passageiros com crianças de colo pela porta traseira dos ônibus

Proposta será analisada nesta terça, dia 12, durante sessão na Câmara Municipal

Os vereadores de Rio Preto se reúnem nesta terça-feira, dia 12, para mais uma sessão na Câmara Municipal. Entre os destaques projeto do vereador Zé da Academia (DEM) que permite o embarque de passageiros acompanhados de crianças de colo pela porta traseira dos ônibus do transporte coletivo urbano. Segundo a proposta o embarque deste tipo só será permitido desde que imediatamente sucedida pelo pagamento das passagens na catraca frontal. O projeto já foi aprovado quanto a legalidade e caso seja novamente aceito pelos vereadores seguirá para sanção ou veto do prefeito Edinho Araújo (MDB).

Assoreamento da Represa

A Câmara de Rio Preto também analisa na sessão desta terça-feira, projeto que obriga o Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (Semae) a realizar o desassoreamento da Represa Municipal em uma profundidade de três metros e meio. De autoria do vereador José Carlos Marinho (PSB), a proposta já havia sido apresentada em março, entrou em discussão em agosto, mas teve a votação adiada.

Em janeiro deste ano a Gazeta de Rio Preto trouxe reportagem mostrando o grau de assoreamento da Represa. Em 2008, os três lagos, que compõem o sistema, armazenavam 1,156 milhão de metros cúbicos de água. Em 2014, esse volume diminui para 502 mil metros cúbicos de água. Para se ter ideia do problema, o Lago 3 retinha 1,3 milhão de metros cúbicos de água nos anos 1980. Obras como a duplicação da rodovia BR-153, o novo trevo e os inúmeros condomínios e loteamentos que surgiram nos arredores, completam a lista dos responsáveis pelo assoreamento. A dragagem, que é o serviço de remoção da terra do fundo da represa, seria uma solução para o problema.

Na ocasião, meio de nota, o Semae afirmou que “para o segundo semestre deste ano está previsto o início dos trabalhos de desassoreamento da Represa Municipal, com a retirada de 450 mil m3 de sedimentos de material depositado no fundo da Represa. Serão 40 mil viagens de caminhão”, consta na nota. Para isto será necessário, segundo a autarquia, a abertura de licitação para definir a empresa que ficará responsável pelo serviço. O valor que envolve a contratação de dragagem do fundo da Represa não foi informado.  

A Gazeta apurou que o trabalho de desassoreamento da Represa Municipal custaria pelo menos R$ 25 milhões, com duração prevista de dois anos e meio.

Por Da Redação em 12/03/2019 às 15:10
TerrasAlphaville