GAZETA DIGITAL ISSUU - Gazeta de Rio PretoISSUU - Gazeta de Rio Preto

Política

Regularização dos carros por aplicativo ainda é confusa, vereador pede mais tempo e multa para empresas como Uber e 99Táxi

O vereador Jean Dornelas, do PSL, pediu à Secretaria de Trânsito de Rio Preto o adiamento de 90 dias para exigir a regularização dos motoristas por aplicativos

O vereador Jean Dornelas, do PSL, pediu à Secretaria de Trânsito de Rio Preto o adiamento de 90 dias para exigir a regularização dos motoristas por aplicativos e denunciou que as empresas como o Uber e a 99Táxi estão sonegando os documentos necessários para os profissionais. Os documentos são obrigação para a regularização e para que eles possam trabalhar. Ele da Tribuna da Câmara que a Prefeitura multe essas empresas em R$ 28 mil como prevê a Lei Municipal. Disse que as empresas estão enviando os motoristas para a Secretaria para resolver a documentação que é de responsabilidade delas. Para evitar que sejam multados e tenham os veículos apreendidos eles precisam andar com todos os documentos em uma pasta dentro do carro. Se as empresas fizessem a parte delas, disse isso não precisaria acontecer. 

Ele lembrou ainda que apenas uma dessas empresas de aplicativos tem escritório na cidade e lembrou que “elas ganham milhões de Reais na cidade”. Dornelas disse ainda que os 90 dias de adiamento da entrada em vigor da lei “pode ser muito tempo” e que deve conversar com o secretário Amaury Hernandes, do Trânsito, para que ele seja reduzido pela metade, “mas que a prorrogação para a entrada em vigor da Lei deve ser prorrogada”. A obrigação da regularização para trabalhar como motorista de aplicativos entrou em vigor na sexta-feira, dia 8 de Novembro. Segundo os trabalhadores as exigências são complexas e precisam de mais tempo para conseguir a regularização. Pedro Roberto, do Patriotas, disse que é difícil mas os motoristas que fizeram a lição de casa são mais de 1600 e que eles estão trabalhando dentro da lei. 

Segundo estimativas de motoristas da categoria e dos agentes municipais eles podem ser entre quatro e sete mil carros apenas em São José do Rio Preto. Embora a lei esteja em vigor, os vereadores admitiram que a fiscalização ainda não esta sendo realizada. Mas a quantidade de carros prestando o serviço caiu drasticamente. E quem paga o preço é o consumidor. Ou seja: com menos carros na Rua o preço da corrida aumenta drasticamente. Para que o valor da corrida seja multiplicada por 1 tem que ter bastante carro à disposição. Quando tem poucos carros, o valor é multiplicado por 1,5 ou até dois. No primeiro dia em que a Lei entrou em funcionamento, poucos carros saíram e as empresas multiplicaram o valor inicial por três. Uma corrida que era cobrada a R$ 10 passou a custar R$ 30.

Por Rubens Celso Cri em 13/11/2019 às 09:50
TerrasAlphaville