Política

Vereadores concordam com as medidas contra o coronavírus, mas até o dia 8 de abril

A principal reclamação é em relação à falta de informações sobre as regras ao comércio, se está em vigor o decreto estadual ou o municipal

A maioria dos vereadores que participou da reunião com o prefeito Edinho Araújo, MDB, e o Comitê de Enfrentamento da Crise da Covid 19 apoiou as medidas que foram tomadas até aqui pela Prefeitura.

Dois vereadores, Jorge Menezes, PTB, e Anderson Branco, PL, relutam em aceitar as regras restritivas ao comércio. Jorge Menezes participou da carreata que protestou com outros comerciantes contra as limitações impostas pelo decreto municipal. Menezes é comerciante e Anderson é prestador de serviço, tem um salão de cabeleireiro.

Jean Charles, do MDB, Francisco Júnior, do DEM, e Zé da Academia, do Patriota, não participaram da reunião.

O presidente da Câmara, Paulo Pauléra, disse que “todos adores deram total apoio às iniciativas que estão sendo tomadas” e que “o executivo se comprometeu a fazer reunião com todos técnicos para avaliar sugestões dos vereadores”, mas que neste momento “prevalece decreto em vigor”. E que se o prefeito determinar novas medidas, elas vão valer apenas “o dia 8 de abril”.

Na reunião, a Secretaria de Saúde apresentou dados referentes ao número de pacientes atendidos, gastos da pasta até o momento e uma projeção de investimentos para o enfrentamento da pandemia nos próximos meses. 

Os vereadores cobraram mais clareza quanto ao cumprimento de decretos. A principal reclamação é em relação à falta de informações sobre as regras ao comércio, se está em vigor o decreto estadual ou o municipal.

Edinho Araújo declarou anteriormente que a cidade segue as regras do decreto estadual, em vigor até 7 de abril. Como o decreto municipal tem vigência até o dia 15, o prefeito disse que ainda deve reavaliar as datas para definir a situação de Rio Preto.

Na coletiva do desta quinta-feira, dia 2 de abril, o secretário de Saúde, Aldenis Borín, disse que o decreto municipal está em vigor. Ele não foi revogado. As multas impostas diariamente pela Vigilância Sanitária são estabelecidas no decreto municipal, que tem validade até o dia 15 de abril.

A reunião teve três horas de duração. Quatorze vereadores presentes. Foi no auditório do nono andar da prefeitura, espaço para abrigar 200 pessoas, mas estavam na sala pouco mais de vinte pessoas, obedecendo ao distanciamento que o decreto municipal estabelece.

Por Rubens Celso Cri em 02/04/2020 18:46
TerrasAlphaville