Política

‘Me sinto preparado para ser o melhor prefeito’, diz Carlos Arnaldo em entrevista à Gazeta de Rio Preto

Carlos Arnaldo foi o entrevistado de hoje na sabatina realizada na redação do jornal Gazeta de Rio Preto

A entrevistada de hoje na sabatina realizada na redação do jornal Gazeta de Rio Preto foi o candidato Carlos Arnaldo, PDT. Ele disse que seu programa de governo se baseia em educação, saúde, emprego e geração de renda. Promete escola integral e acusa o prefeito Edinho Araújo, MDB, privilegiar alguns segmentos da economia. Carlos Arnaldo disse ainda que o governo extirpa árvores sadias e que o presidenciável Ciro Gomes vai lhe dar o apoio nos programas de rádio e TV.

Ele promete aula integral no sistema municipal de ensino. Informa que hoje temos apenas 0,3% dos alunos na escola o dia inteiro. Ele diz que as crianças vão entrar às 8h e sair às 19h. As aulas no contra turno não serão das disciplinas normais. Outra promessa é ampliar o funcionamento das creches até às 19h. Diz que hoje os pais que saem do trabalho no mesmo horário de fechamento das creches e vivem um desespero para conseguir chegar a tempo e pegar a criança. Outro ponto e descobrir os locais da cidade que precisam de creches noturnas. Para pais que trabalham a noite toda em hospital ou em shoppings, por exemplo. Essas mudanças, garante, servem tanto para a rede municipal como para a conveniada.

Outros dois setores que precisam de um olhar mais cuidadoso, segundo disse, são a saúde e a geração de emprego e renda. No entanto, na sabatina, ele deu uma ênfase à saúde. Afirmou que o maior problema na saúde em Rio Preto é a falta ou equipamentos deficientes. Um exame e ultrassom demoram seis meses, uma tomografia um ano. Disse que uma pessoa que tem um câncer no estágio inicial e espera um ano por um exame vai perder o controle da doença. Ele diz que vai comprar novos equipamentos e ampliar a realização dos exames. “O exame tem que ser feito de imediato, no máximo em uma semana”, revela. Outra promessa feita em caso de vitória é instituir o programa Remédio em Casa. Muitos pacientes têm uma doença crônica e vai tomar aquele remédio o resto da vida. Então vai recebê-lo em casa. Evita aglomeração e a relação se torna mais humana.

O prefeiturável do PDT e da Coligação Rio Preto Pode Mais disse pandemia envolveu as questões sanitárias e as econômicas. E que, Edinho, foi injusto ao tratar comerciantes de forma desigual. Citou que enquanto todos os comerciantes estavam com as portas fechadas, os hipermercados abriam e vendiam roupas, eletrodomésticos, pneus, calçados, geladeiras e fogões. Eles teriam aumentado o faturamento na pandemia em 40%.

Quanto à saúde, segundo ele, as pessoas que testavam positivo para Covid-19 eram mandadas para a casa em isolamento domiciliar. “Tem que fazer um raio-x do pulmão na hora e ser medicado”. Carlos Arnaldo teve Covid-19. “Eu recebi o resultado positivo e fui mandado para casa”. De posse de um convênio, fez a radiografia, estava com 40% do pulmão comprometido e foi internado imediatamente”, explicou.

Quanto as queimadas, o candidato do PDT têm as mesmas suspeitas que outros que já passaram pela sabatina. O fogo teria sido criminoso, de propósito, para conseguir lotear aquelas terras. Arnaldo disse que a Prefeitura tem que comprar os 40 mil hectares que o governo autorizou vender e transformar num parque municipal. O problema, disse, são os proprietários que tem terras no entorno e querem loteá-las. O prefeiturável também falou do racionamento. Culpou a falta de desassoreamento da represa municipal durante mais de uma década, falou quanta água é possível reservar se os lagos dois e três da represa estiverem com uma profundidade de meio metro e que aqui perdemos 25% de toda a água tratada na rede. Para ele, o racionamento acontece por falta da interligação do sistema.

Rio Preto, para o pedetista, é uma cidade que não cumpre a indicação da ONU. Ela diz que uma cidade tem que ter pelo menos 12 metros quadrados de cobertura vegetal por habitante. Segundo Arnaldo, Rio Preto não tem. Por isso ele posta vídeos mostrando que o prefeito Edinho Araújo corta árvores sadias. Os vídeos que estão na sua rede social são a prova. Edinho entrou com uma ação e o juiz entendeu que Carlos Arnaldo tinha que retirar um vídeo com essa denúncia do ar. “O juiz mandou tirar um vídeo. Só que mais oito que ele não mandou tirar”. Ele se pergunta por quê? “Uma de nossas primeiras ações serão aumentar a capacidade do viveiro municipal para transformar Rio Preto”.

O candidato do PDT disse que na eleição municipal anterior ele não foi tão bem porque tinham três deputados (Edinho Araújo, Orlando Bolçone e João Paulo Rillo) na briga e as máquinas municipal e estadual contra ele. E diz que essa eleição é diferente. Hoje o PDT tem uma coligação com três partidos 25 segundos de TV e 25 candidatos a vereador. “Temos propostas e acredito que vamos sair vencedores”, pondera.

Durante o bate papo ele falou ainda da favela da Vila Itália. Considera uma falta de amor cristão a forma como se trata os moradores do local. “Uma crueldade”, diz. Garante que se for eleito vai encontrar um caminho jurídico para que a Companhia de Desenvolvimento do estado de São Paulo, CDHU, construa casas para essas pessoas. Ele lembrou, ao terminar a sabatina, que tem experiência para o cargo, foi duas vezes vereador eleito, e secretário do Planejamento (Liberato Caboclo) e do Desenvolvimento Econômico. Por isso, é uma pessoa preparada para administrar Rio Preto.

Veja a entrevista completa clicando aqui.

Por Rubens Celso Cri em 19/10/2020 14:55