Política

Confira os bastidores da política desta sexta-feira, dia 22 de janeiro

O jornalista Rubens Celso Cri traz na coluna Giro Político as principais notícias da política

Chutômetro

O governo estadual anuncia uma revisão do Plano São Paulo. Algumas regiões vão regredir. Um mapa que circula desde quinta-feira cedo, veiculado por uma emissora de TV, mostra que regridem para a vermelha Presidente Prudente, Marília, Bauru e Franca. Na 3, amarela, Araraquara, São João da Boa Vista, uma cidade da região Metropolitana da capital, a Baixada Santista e a Costa Verde (Bertioga, Ubatuba e Caraguatatuba).

Dia D, hora H

Questionado, o gabinete do prefeito disse que “o mais importante é manutenção da fase neste momento”. Diz que “os índices (da região) estão estáveis, (Rio Preto) deve ficar na mesma fase”. O problema é que essa mesma emissora veiculou um mapa dia 14 (quinta retrasada) indicando retrocessos e avanços que não aconteceram. Na dúvida, os mundos político e empresarial roem unhas. Anúncio será nesta sexta-feira, às 12h45, no Palácio dos Bandeirantes. 

Na laranja, mas...

Além do Gabinete do prefeito, a Secretaria de Saúde também não acredita que Rio Preto regrida para a fase 1, vermelha, no Plano São Paulo de Flexibilização. Tanto o número de novos casos quanto de internação e de ocupação hospitalar estão dentro da margem para permanecer na fase laranja. Não é possível afirmar porque a análise do Plano é mais complexa e envolve toda a região.

Pânico

Para evitar o retrocesso, desde segunda-feira são 20 novos leitos instalados na Unidade de Internação Básica Covid. Na próxima semana deve começar a funcionar também outros 20 leitos de suporte respiratório em um prédio da UBS Fraternidade.

Fausto, o corajoso

Até mesmo Fausto Pinato, PP, tirou uma casquinha no presidente Jair Bolsonaro. Membro da Comissão Brasil-China, no Congresso Nacional, se colocou à disposição para tentar liberar o insumo para vacinas presos no país asiático. O deputado de Fernandópolis fez críticas ao presidente Bolsonaro e pediu a cabeça do ministro, Eduardo Panzuello, da Saúde. A oposição quer o impeachment alegando que a crise e as mortes foram geradas pelo presidente.

Promessinha

Pinato é o deputado que prometeu trocar Fernandópolis por Rio Preto e peitar o prefeito Edinho Araújo, MDB, na eleição passada. Era só uma pegadinha. Jogou a isca, mas nem o partido dele, o PP, levou sério. Desde outubro do ano passado fala grosso com o governo Bolsonaro porque seu afiliado Johnni Hunter Nogueira foi demitido do 3º maior entreposto de hortifrutigranjeiros do mundo, o Ceagesp da capital paulista. Perdeu a boquinha e o medo. 

Menos, por favor

Outro que elevou o tom contra o governo por causa da crise sanitária é o deputado federal Geninho Zuliani, DEM. Moderado, o deputado de Olímpia se recusa a falar sobre impeachment: “é melhor esperar e apurar direito”. Oposição culpa Bolsonaro e Pazuello pelas mortes por asfixia em Manaus.

Motta, contra

O deputado federal Luiz Carlos Motta, PL, acredita que a ida do Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a Manaus, vai salvar vidas. É contra falar em impeachment do presidente Bolsonaro: “neste contexto de crises sanitária, política, econômica e social, vai significar mais uma paralisia à Nação”. O PL, de Motta, convidou Jair Bolsonaro para se filiar. Motta não se opõe, diz em nota.

Vamos abrir

O Sindicato do Comércio tenta enterrar uma emenda (que hoje é um artigo) do novo Código de Posturas. A nova Lei autoriza a abertura das atividades empresariais 24h por dia, 7 dias por semana. O artigo, de autoria da ex-vereadora e atual secretária do Trabalho, Márcia Caldas, PSD, obriga que os patrões comprovem que os turnos de trabalho tenham 8h e respeitem os acordos e convenções trabalhistas.

Vamos fechar

O Sindicato do Comércio, Sincomércio, alega que a regra dificulta flexibilização do horário do comércio, principalmente da região central. O juiz afirma que a liminar pedida foi negada porque a lei sancionada pelo Executivo só pode ser questionada por uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, Adin, no Tribunal de Justiça de São Paulo.

Dilema

Faltando 12 dias para o início do ano letivo, a secretária de Educação, Fabiana Zanqueta, disse em reunião com a Frente Parlamentar da Câmara que o retorno das aulas presenciais depende de uma entrevista pessoal com os pais de alunos. A Secretaria estuda liberar alunos que tenham 2 termómetros em casa. As creches vão permanecer fechadas. Crianças com até 2 anos não podem usar máscaras e precisam do contato direto com o professor. Nas aulas presenciais, as salas vão receber 25% da capacidade.

Devagar

A secretária Fabiana Zanqueta ainda está se acostumando com a nova função. Na reunião trocou calendário escolar por calendário eleitoral e Secretaria de Educação por Secretaria da Habitação. Ela foi secretária da Habitação até meados de outubro passado. O Conselho Municipal de Educação fez reunião e decidiu contra a retomada das aulas presenciais. O Conselho é deliberativo e suas decisões devem ser acatadas.

Lotação

Nesta sexta-feira, dia 22, a Frente Parlamentar prevê sabatinar às 11h o secretário de Trânsito e Transporte, Amaury Hernandez. Os vereadores querem saber o que tem sido feito para evitar aglomeração nos ônibus do transporte público. Outro secretário sabatinado é Aldenis Borim, da Saúde. A Frente pretende propor alternativas e colaborar para a retomada da normalidade após a pandemia.

Acordo

Ontem, quinta-feira, a Mesa Diretora se reuniu pela 1ª vez para conversar com lideranças dos partidos políticos para formar as 22 Comissões Permanentes da Câmara. Não houve presença do presidente Pedro Roberto e de outros líderes. Uma segunda reunião foi marcada para esta sexta-feira. Sem acordo prévio, elas serão formadas em disputas no Plenário. A mais importante é a de Justiça e Redação. Sem parecer das Comissões os projetos não podem ser votados.

Luz

O primeiro projeto protocolado na Câmara assim que o setor reabriu propõe que as alterações na Lei de Zoneamento tenham publicidade nos sites e plataformas oficiais do Legislativo. O projeto é da Mesa Diretora. Mudanças no zoneamento ou inclusão de áreas no perímetro urbano só eram divulgadas no Diário Oficial do Município. A proposta inclui que a publicidade alcance os sites e plataformas da Câmara e da Prefeitura. A justificativa é a necessidade de se adequar às novas tecnologias e exigências do cidadão.

Por Rubens Celso Cri em 22/01/2021 00:37