Política

Confira os bastidores da política desta sexta-feira, dia 26 de fevereiro

O jornalista Rubens Celso Cri traz na coluna Giro Político as principais notícias da política

Relações delicadas

Depois de votar em Pedro Roberto, Patriota, a relação do vereador Jean Charles Serbeto, MDB, com o prefeito e a cúpula do partido ficou abalada. Para o interlocutor, o termo correto é “que há um constrangimento que não desaparece”. Jean é tido como o homem de confiança do prefeito.  

Armado

Paulo Pauléra, PP, perdeu a presidência, mas ganhou um AK-47. Foi eleito presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. Dos cinco membros, quatro são da base do prefeito. Pauléra não dá mais ordens e nem estabelece as intervenções políticas no debate público, mas tem na mão o poder de cassar vereador.

O jogo

Na sessão do dia 17 João Paulo Rillo, Psol, pediu vista (adiamento) por uma sessão de um veto do prefeito ao Plano Diretor. João Paulo disse que o assunto é muito complexo e que precisa analisar com calma. Ao perceber que João Paulo ia perder a votação do pedido de vista, Pedro Roberto, Patriota, aproveitou a hora, 19h56, obedeceu ao lockdown, às 20h, e encerrou a sessão sem colocar o pedido de João em votação. Mas, não voltou e a vista que não foi votada ficou valendo.

A regra

Só Odélio Chaves, PP, que, reservadamente, chamou a atenção diretor Jurídico, Ailton Bertoni, PT, indicado por João Paulo Rillo, parece que deu conta. A Ordem do Dia (o que vai ser votado) é definida pelos líderes partidários. Alguns líderes boicotam as reuniões. Depois não adianta chorar.   

Saia justa

O Regimento da Câmara só autoriza vereador debater requerimento que ele é contra. O vereador Jean Charles apresentou um requerimento parabenizando a GCM e a Vara da Infância e Juventude por conter festas clandestinas. JP Rillo concordou com o requerimento. E começou a falar bem e criticar o prefeito. Jean Charles tentou interromper. Disse que Rillo não podia falar por ser a favor e fugiu do assunto.

Blazer e batom

Odélio Chaves, PP, alertou Jão Paulo Rillo que ele estava contrariando o Regimento. Odélio e Jean Charles viraram alvos. Para João, Serbeto “devia retirar esse ranço autoritário da sua vida” e parar com censura. Para Odélio, que pediu legalidade, sobrou a ironia de ser “acusado” de ser legalista. João elogiou o requerimento, a Guarda e a Vara, mas votou contra atendendo o Regimento. Garantiu mais cinco minutos de Tribuna.

A calmaria e o vendaval

Durante o discurso gutural de João Paulo, Serbeto bebia água e sequer franziu a testa ou se deu ao luxo de responder. Jean Charles é Tenente-Coronel. Enquanto deputado estadual, João Paulo teve problemas durante uma discussão na Assembleia com um oficial da PM paulista. 

Devagar

O secretário da Fazenda, José Martinho Wolf Ravazzi Neto, revelou que a arrecadação de janeiro surpreendeu e mostra uma retomada da economia. Ano passado a arrecadação foi apenas R$ 16 milhões menor do que a prevista. Aos devedores, a melhor notícia ficou para o final da audiência: vem aí um novo Programa de Pagamento Incentivado, PPI, para 2021.

Só Deus sabe

Você acha que está arrasando porque faz parte da rede social Clubhouse? Ela só pode ser acessada pelo IOS (Apple) e ainda assim se você for convidado. Pois bem, descobriu-se nas últimas horas que o aplicativo tem um “problema fácil de encontrar para quem é meia boca em TI” e as conversas são acessadas em computadores comuns. A rede virou febre em duas semanas e alguns participantes do grupo, que ao entrar recebem dois convites para presentear amigos, estão vendendo o mimo a R$ 280,00. Há que diga que a rede seja usada para capturar e vender dados de pessoas em todo o Planeta.       

Tá liberado

Empresas flagradas em “tenebrosas transações”, como corrupção ou improbidade, poderão receber dinheiro público. O Tribunal de Justiça derrubou uma lei do vereador Renato Pupo, PSDB, que impedia essa espécie de incesto entre o público e o privado. Fica valendo a suruba institucional.

Sai Dória, entra Pazuello

Rio Preto recebeu ontem 5.770 doses da vacina AztraZenica Oxford para o grupo de risco com 80 anos ou mais. Ainda assim, nove em cada dez pessoas no país tomaram vacina foram de CoronaVac. A diretora administrativa do Hospital de Base, médica Amália Tiecco informa que quase cem por cento dos funcionários que lidam com a pandemia no hospital foram vacinadas.

Trevas

A situação da pandemia em Rio Preto não é diferente da do resto do estado. A situação é crítica. Na quarta a taxa de ocupação do HB ficou em 92%. Na Santa Casa, 83%. A diretora do HB, médica Amália Ticco, disse que ao longo do dia, com o entra e sai da UTI, a ocupação chega em alguns momentos a 100%. A fase amarela está cada vez mais desbotada.  

Passou da hora

Bruno Marinho, Patriota, tenta colocar as coisas no devido lugar. Propõe inverter a regra da tal da “prova de vida” exigida por bancos, cartórios e INSS para continuarem a pagar benefícios e aposentadorias. Protocolou projeto para que essas instituições enviem um funcionário na casa do idoso. Hoje o idoso tem que se deslocar. Muitos são doentes, outros acamados ou paralisados. Alguns, com quase cem anos. 

Itamar e a região Metropolitana

Desde quarta-feira a Câmara realiza audiências públicas. Na primeira foi a vez do Secretário da Fazenda, Martinho Ravazzi. Ontem, do Secretário de Saúde, Aldenis Borim. Foi falar das ações do município durante a pandemia. Mas, a audiência mais aguardada é a de sábado pela manhã. Vai tratar da região Metropolitana. Vai explicar o projeto e tirar as dúvidas de prefeitos e vereadores que vão pertencer à região Metropolitana de Rio Preto. As audiências são transmitidas pela TV Câmara.

E quinta-feira?

O lockdown encerra as sessões às 20h. O regimento interno da Câmara convoca uma sessão na terça, a partir das 17h e outra com o mesmo formato na quinta, quando é necessário. O presidente da Câmara, Pedro Roberto, está decidido a convocar uma única sessão na terça a partir das 15h para conseguir votar todos os projetos. Por quê? E, a Lei? E as sessões de quinta-feira? Ou será que as quintas vão atrapalhar algum vereador? Perguntado, até o fechamento da edição não houve resposta.

Por Rubens Celso Cri em 26/02/2021 09:30