Política

Três vereadores denunciam João Paulo Rillo no Conselho de Ética da Câmara

Durante a votação do projeto que criaria o Conselho da Diversidade Sexual, João Paulo Rillo disse que os vereadores da Câmara são 'canalhas'

Os vereadores Bruno Moura, PSDB, Odélio Chaves, PP, e Cabo Júlio, PSD, entraram com uma representação no Conselho de Ética da Câmara contra o vereador João Paulo Rillo, Psol. 
Eles alegam que Rillo quebrou o decoro ao chamar todos os vereadores de “canalhas” durante a sessão da Câmara do dia 30 de março. Doze vereadores enterraram a criação do Conselho de Diversidade Sexual enviado pelo prefeito Edinho Araújo, MDB. Isso revoltou João Paulo Rillo.

O atual presidente do Conselho é o vereador Paulo Pauléra, PP. O primeiro passo após a denúncia é uma reunião para analisar se a denúncia será aceita ou arquivada. 

Caso os cinco vereadores do Conselho aceitem a denúncia, João Paulo fica à mercê de punições. Vão desde advertência, passando por suspensão do mandato, até cassação. 

O presidente da Comissão de Licitação, Paulo Pauléra disse que o Conselho recebeu a representação e que, o próximo passo, é marcar uma reunião para decidir se aceita ou não a denúncia.

Caso seja aceita, será formada uma Comissão com três vereadores do Conselho para fazer o processo. Envolve ouvir o João Paulo e todos os outros vereadores, além de testemunhas. Ao final, define-se o relatório. Qualquer punição tem que ser aprovada pelo Plenário pelos 17 vereadores. 

João Paulo Rillo disse na sessão que podem denunciá-lo no Conselho de Ética, onde afirma vai se defender e mostrar os motivos oque o levaram a fazer tal acusação.

NOTA DO VEREADOR JOÃO PAULO RILLO SOBRE REPRESENTAÇÃO PROTOCOLADA NO COBSELHO DE ÉTICA 

"Lidero um mandato popular, fui eleito para colocar o povo na Câmara. Em todas as ações do nosso mandato, o governo Edinho teve que recuar, como, por exemplo, quando agiu cruelmente contra as ambulantes do Calçadão, contra os profissionais da educação não empossados, quando decidiu prejudicar os comerciantes do Calçadão. Nosso mandato tem denunciado diariamente a ineficiência do governo Edinho frente à pandemia que castiga a nossa população. Nosso mandato discute a cidade e isso, certamente, incomoda.  Os três vereadores que me representaram no Conselho de Ética, já apontados pela imprensa como a "tropa de choque" do governo Edinho, estão fazendo aquilo que o governo quer, isto é, tirar a atenção daquilo que realmente importa. É mais uma ação orquestrada para desviar o foco das denúncias que fazemos. Eu não me envergonho da minha atuação como parlamentar, não me envergonho do mandato que represento. Quem tem que se envergonhar é quem permitiu que mais de 1.600 pessoas morressem nesta cidade, quem tem que se envergonhar é quem apoia e sustenta essa política de morte, praticada por um governo antipovo".

Por Rubens Celso Cri em 08/04/2021 15:26