Política

Confira os bastidores da política desta sexta-feira, dia 24 de setembro

O jornalista Rubens Celso Cri traz na coluna Giro Político as principais notícias da política

Castigo

Projeto da vereadora Cláudia De Giulli, MDB, criando duas sessões às terças-feiras (das 9h às 13h e das 14 às 18h), foi protocolado na última quarta-feira, 22, um dia depois dos vereadores reprovarem uma hora a mais na primeira parte da sessão. A parte mais interessante do texto é a que só permite vereadores deixarem o Plenário caso o prefeito esteja de licença.

Genial

O texto diz que o vereador só poderá deixar a sessão se respeitar o Artigo 246 do Regimento Interno. O 246 regula como e quando prefeito pode pedir licença. O projeto é assinado por mais dez vereadores, entre eles, ao menos dois advogados. Estava pronto desde o dia 9. O vereador que desrespeitar terá 1/15 avos descontados do salário (algo em torno de R$ 400,00). Foi protocolado dia 22.

Vingança, prato frio

O projeto é assinado pelos dez vereadores que foram acusados em carta anônima de promover rachadinha em seus gabinetes, além de Bruno Moura, PSDB, que não foi acusado de nada. Não há disfarce. Feito sob encomenda para prejudicar Renato Pupo, PSDB, suspeito no grupo de ser corresponsável na denúncia da rachadinha. Robson Ricci, do Republicanos, é atingido por tabela. O repórter da Record TV terá que contar o todo o apoio da Igreja Universal para conseguir cumprir as novas regras da casa. Há interesse e vontade da emissora

Falta voltar a peste negra

O projeto não para aí. Draconiano, entra na contramão da tecnologia e parece transportar os vereadores diretamente para a Idade Média. Coloca a Câmara numa camisa de força. Proíbe qualquer participação online e coloca um ponto final nas sessões remotas. O texto é tão intransigente que ao pé da letra o vereador que for ao banheiro perde 1/15 avos do salário. Se for aprovado, serão 8 horas de sessão, com intervalo de uma hora.

Alô, alô

O Artigo (246) ao qual o projeto se refere como obrigatório a ser respeitado para o vereador a deixar o Plenário ou faltar, diz: “A licença do cargo do Prefeito poderá ser concedida pela Câmara, mediante solicitação expressa do Chefe do Executivo, nos seguintes casos: (o prefeito) ausentar-se do Município por mais de quinze dias, doença, licença gestante, férias, representar o Município, etc”. Ninguém entendeu a estrovenga, mas tudo indica que um vereador só poderá ir fazer xixi se o prefeito pedir licença do cargo.

Sonrisal

Para a cidade, o Ministério Público deu a melhor informação da semana: não há prova de rachadinha na Câmara de Rio Preto. Nada como os caminhos legais para dar respostas aos delírios. Lição: ninguém precisa rasgar a cueca em Plenário por causa de denúncia sem fundamento. Denúncia sonrisal: ferve, ferve, ferve e desaparece. O problema é a fama do Legislativo: faz 20 anos que se fala em rachadinha na Casa.

Kizumba exonerado

O vereador Rossini Diniz, PL, exonerou Kleber da Silva (o Klebinho Kizumba) do cargo de chefe de gabinete. Ele teria feito um tour pelo Rio de Janeiro durante o período de home office. Permanece no gabinete, mas não é mais o chefe. A partir de 1º de janeiro de 2022, todo chefe de gabinete terá que ter ensino superior. Ele tem 4 meses para resolver 4 anos. Rossini votou a favor do projeto que estabeleceu a regra, após dizer que votaria contra. Rossini ganhou dez dias de Pedro Roberto para explicar a bola nas costas que levou do seu colaborador.

Só marketing

Pedro e Rossini foram muito maldosos. Kleber tem uma fábrica de camisetas e foi ao Rio de Janeiro apenas para divulgar a marca Kizumba com artistas famosos do samba. Dudu Nobre, Ivo Meirelles, Zeca Pagodinho, Vavá Etc e tal são alguns que aparecem nos vídeos, imediatamente removidos.

Premonição

Na sexta-feira passada à tarde o vereador Júnior Ruel, DEM, apresentou requerimento de pesar para Lucas do Valle, neto de Luciano do Valle e ex-diretor do SBT Interior em Rio Preto. Ele levou um tiro na cabeça em assalto em São Paulo. O detalhe é que quando o requerimento foi protocolado, Lucas estava vivo em estado gravíssimo. Há alguns anos acontecia o oposto: vereadores enviavam votos de felicidade pelo aniversário de pessoas que haviam falecido.

Eu não sabia

João Paulo Rillo, Psol, apresentou denúncia contra o governo do estado no Ministério Público. Caminhões da empresa Imagem Aviação contratada pela Defesa Civil Estadual foi flagrada na manifestação com carreata dia 7 de setembro quando o presidente defendeu um golpe de estado. A direção da empresa anda dizendo que não tinha noção do que os motoristas faziam na carreata.

Silêncio tumular

Com o silêncio comprometedor da base do prefeito, o presidente da Câmara, Pedro Roberto, Patriotas, não coloca na ordem do dia para votação o projeto que pede autorização para o município contrair um empréstimo de R$ 300 milhões.

Mudança de rota

Na sessão da última terça-feira o vereador Cabo Júlio, PSD, participou via remota, direto de Brasília, na sessão. Foi atrás de verbas para seus objetivos políticos. Depois que ele chamou o João Doria de vagabundo ele mudou a rota de captação de recursos.

Escárnio

O médico rio-pretense Pedro Benedito Batista Filho, diretor médico executivo da Prevent Senior assumiu na CPI a mudança do Código Internacional de Doenças (CID) após 14 ou 21 dias da entrada de um paciente com Covid. Tentou negar o uso do tratamento precoce contraindicado pela Ciência, mas admitiu que após um período na UTI os pacientes eram colocados na enfermaria. Na UTI um paciente pode custar R$ 3 mil ao dia.

Reluz, mas não é ouro

Pedro Roberto fez uma audiência pública na Câmara com Pedro Benedito Batista Júnior na Câmara em Rio Preto. Se tivesse caído na ladainha do médico iria se sentar na sala de tortura da CPI da Pandemia. Queria audiência com Aldenis Borim e implantar o programa em Rio Preto.

Empatia mora ao lado

O médico que “sugeriu” desligar conexões cerebrais de dona Marisa Letícia, ex-esposa de Lula, e matá-la na UTI quando ela sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) é um outro médico que trabalhou num hospital particular em Rio Preto. É um equívoco generalizar, muito não dá para esquecer. 

Aos bolsonaristas

A deputada federal Carla Zambelli, PSL, retorna a Rio Preto neste sábado (25) para cumprir agenda com militantes próximos e conceder uma entrevista coletiva às 9:30, no Ype Park Hotel. A assessoria não deu mais detalhes. Na última vinda, ela agregou o centrinho bolsonarista da Câmara. Odélio Chaves, PP, Cabo Júlio, PSD, e Bruno Moura, PSDB. Será que o grupo vai convidar o neobolsonarista raiz, Anderson Branco, PL, alijado da última foto do exército do mito em Rio Preto?

Por Rubens Celso Cri em 24/09/2021 00:06