Política

Câmara nega definitivamente colocar Parada LGBTQIA+ no Calendário Oficial de Rio Preto

Conservadores, fundamentalistas cristãos, intolerantes e preconceituosos foram contra a proposta

A Câmara Municipal de Rio Preto rejeitou mais uma vez votar qualquer projeto que beneficie a comunidade LGBTQIA+. Desta vez, eles votaram contra a colocação da Parada no Calendário Oficial do Município. Ela acontece todo mês de julho. Foram 8 votos contrários e 6 a favor. Bruno Marinho, Patriota, e Júnior Ruél, DEM, estavam ausentes e o presidente Pedro Roberto, não vota. 

O projeto foi assinado pelo professor do Ibilce, Unesp, Elso Drigo Filho, Psol, ele apresentou a proposta quando assumiu o mandato por um mês, no afastamento a pedido do vereador João Paulo Rillo, Psol. Ele foi aprovado o quanto à legalidade, mas morreu na votação do mérito. 

Na verdade, alguns dos projetos que envolvem questões de gênero talvez fossem aprovados, mas a oposição sistemática que a base do Executivo faz em relação aos vereadores João Paulo Rillo, Psol, Pedro Roberto, Patriota, e Renato Pupo, PSDB, impede.

Qualquer proposta apresentada pelos três vereadores, grupo este eventualmente aumentado pelo vereador Robson Ricci, Republicanos, não avança ou avança com muita dificuldade e após muitas negociações. Elso Drigo deixou o mandato sendo elogiado por todos os vereadores.

Brincando, Jorge Menezes chegou a dizer, à época, que deseja ver o vereador Joao Paulo Rillo eleito deputado apenas para ter Drigo na Câmara.

Votaram contra 

Jean Charles Serbetto (MDB)
Karina Caroline (Republicanos)
Odélio Chaves (PP)
Bruno Moura (PSDB)
Cabo Júlio Donizete (PSD)
Rossini Diniz (PL)
Paulo Pauléra (PP)
Anderson Branco (PL)

Votaram a favor 

Renato Pupo (PSDB)
João Paulo Rillo (Psol)
Jorge Menezes (PSD)
Robson Ricci (Republicanos)
Cláudia de Giuli (MDB)
Luiz Celso Peixão (MDB)

Ausentes

Bruno Marinho (Patriota)
Júnior Ruel (DEM)

Presidente
Pedro Roberto Gomes (Patriota)
Não vota

 

Por Rubens Celso Cri em 14/10/2021 19:30